Empresas

Os principais executivos da Huawei tinham laços estreitos com a empresa no centro do caso criminal dos EUA

Uma obscura empresa registrada em Hong Kong está no centro do processo criminal dos EUA contra a Huawei Technologies da China e seu diretor financeiro.

As autoridades dos EUA alegam que a gigante fabricante de equipamentos de telecomunicações usou a empresa para contornar as sanções econômicas americanas ao Irã entre 2007 e 2014, a Huawei disse que vendeu o negócio em 2007 e nega qualquer delito.

Foram descobertas ligações não relatadas anteriormente no Brasil entre a Huawei e a empresa, Skycom Tech Co Ltd, que poderia oferecer suporte ao caso dos EUA contra a gigante da tecnologia e Meng Wanzhou, seu diretor financeiro e filha de seu fundador.

Os registros corporativos arquivados com o estado de São Paulo no Brasil mostram que a Huawei e a Skycom estiveram intimamente interligadas lá por cinco anos depois que a Huawei vendeu suas ações na Skycom em 2007.

Até o final de 2007, dois outros executivos de alto escalão da Huawei também tinham laços estreitos com a Skycom, como mostram os registros corporativos arquivados no Brasil e Hong Kong,  os dois homens – Ken Hu e Guo Ping – atualmente são vice-presidentes da Huawei e atuam em rodízio como presidente da empresa, Guo agora tem a função de presidente.

O caso criminal é parte de uma campanha global multifacetada de Washington para verificar o poder da Huawei, uma frente na guerra fria cada vez maior da América com a China, os Estados Unidos têm feito lobby com seus aliados para evitar o uso de equipamentos Huawei em seus sistemas de telecomunicações móveis de próxima geração, conhecidos como 5G, Washington argumenta que a China poderia usar a tecnologia para atacar a infraestrutura crítica e comprometer o compartilhamento de inteligência, Huawei e China negaram veementemente isso.

O relacionamento da Huawei com a Skycom é fundamental para o caso criminal norte-americano de alto perfil. Uma acusação nos EUA alega que a Huawei controlou a Skycom e a usou para violar as sanções americanas ao obter equipamentos de computador embargados nos EUA no Irã.

Huawei e Meng afirmam que, embora a Huawei já tenha sido proprietária da Skycom, a empresa mais tarde se tornou, na prática, uma parceira de negócios à distância, em um recente processo judicial relacionado ao caso, no entanto, os advogados de Meng reconheceram que a Huawei “exercia um certo nível de controle sobre a Skycom”.

A informação recentemente descoberta reforça o caso dos EUA ao estabelecer que o controle da Huawei sobre a Skycom era ainda mais forte do que os promotores americanos afirmaram, os registros corporativos mostram que dois executivos adicionais da Huawei dirigiam uma empresa que era dona da Skycom – não apenas Meng, o único executivo nomeado pelos promotores.

Os registros também mostram que o controle da Huawei da Skycom se estendeu ao Brasil, não apenas ao Irã, e durou até o período das supostas violações das sanções, muito depois que a gigante chinesa de tecnologia afirma ter vendido sua participação de 100%.

A Huawei não quis comentar para este artigo.

Até agora, apenas as atividades de negócios da Skycom no Irã receberam atenção pública. Mas os registros da empresa arquivados em São Paulo mostram que a Skycom também teve uma presença pouco conhecida no Brasil entre 2002 e 2012.

Os registros mostram que Hu estava baseado em São Paulo em maio de 2002, quando a Skycom adquiriu uma pequena participação na Huawei Brasil, da qual ele era então gerente. O perfil de Hu no LinkedIn afirma que ele também foi presidente da região da América Latina da Huawei naquela época.

Hu saiu do Brasil depois, mas estabeleceu outro vínculo com a Skycom, os registros da empresa de Hong Kong mostram que, em 2007, Hu e Guo eram diretores de uma afiliada da Huawei, Hua Ying Management Co Ltd, que possuía a Skycom. Hua Ying transferiu suas ações da Skycom para outra empresa naquele ano, meng estava listado na época como secretário corporativo de Hua Ying.

Documentos apresentados pelas autoridades americanas no processo criminal dos EUA descrevem a transferência de ações como essencialmente uma transação fictícia e que a Huawei continuou a controlar a Skycom como “uma subsidiária não oficial”.

No ano passado, o Departamento de Comércio dos Estados Unidos adicionou a Huawei e várias de suas afiliadas, incluindo Hua Ying, à sua chamada “Lista de entidades”, essa mudança restringiu as vendas de produtos e tecnologia dos EUA para a Huawei, Washington disse que as afiliadas “representam um risco significativo de envolvimento em atividades contrárias à segurança nacional ou aos interesses da política externa dos Estados Unidos”.

Hu, Guo e Meng estão atualmente listados como os três diretores da Hua Ying no registro de empresas de Hong Kong.

Hu, que também é conhecido como Hu Houkun, e Guo não são citados no processo criminal dos EUA, seus links para a Skycom e suas atividades no Brasil não foram relatados antes.

As ligações estreitas da Huawei com a Skycom no Irã após a suposta venda de 2007 foram documentadas anteriormente, os documentos brasileiros, arquivados no registro de empresas de São Paulo, mostram até que ponto Huawei e Skycom também continuaram estreitamente ligadas no Brasil por mais cinco anos.

Por exemplo, em julho de 2008, os dois acionistas da Huawei Brasil na época – Skycom e uma afiliada da Huawei chamada Huawei Tech Investment Co Ltd – nomearam cada um a mesma pessoa chinesa para representá-los na Huawei Brasil, os documentos também mostram que Meng, então integrante dos conselhos de administração de ambas as sociedades, autorizou as nomeações.

De fato, durante a década da Skycom como acionista da Huawei Brasil até 2012, a Skycom sempre foi representada na empresa brasileira por pessoas que também representavam os interesses da Huawei, mostram os documentos.

Números de Representações

Os Estados Unidos estão tentando fazer com que Meng seja extraditada do Canadá, onde ela foi presa a pedido das autoridades americanas enquanto trocava de avião em Vancouver em dezembro de 2018.

A acusação norte-americana alega que Huawei e Meng participaram de um esquema fraudulento para obter produtos e tecnologia proibidos nos EUA para os negócios da Huawei com sede no Irã por meio da Skycom e retirar dinheiro do Irã enganando um grande banco.

As autoridades dos EUA identificaram o banco como HSBC Holdings PLC. Meng é acusado de fazer uma apresentação em PowerPoint para um executivo do HSBC em 2013, que incluía “inúmeras declarações falsas sobre a propriedade e controle da Skycom pela Huawei”.

Um porta-voz do HSBC não quis comentar.

Huawei e Meng negaram as acusações criminais dos EUA, que incluem fraude bancária, fraude eletrônica e outras alegações, eles argumentaram em processos judiciais no Canadá que Meng não enganou o HSBC, a Skycom, que foi constituída em Hong Kong em 1998 e dissolvida em 2017, também é ré.

A acusação nos EUA cita histórias em 2012 e 2013 que detalhavam vários laços financeiros e outros laços entre Skycom, Huawei e Meng e descreveu uma tentativa da Skycom em 2010 de obter equipamentos de informática dos EUA embargados no Irã, o artigo de 2013 vinculou Meng diretamente à Skycom.

Os registros brasileiros mostram que a Skycom se tornou uma pequena acionista da Huawei Brasil em 2002 sem injetar dinheiro novo na empresa, em vez disso, os dois acionistas da Huawei Brasil na época – ambas empresas afiliadas da Huawei – transferiram ações para a Skycom.

Quando a Skycom saiu da Huawei Brasil em 2012, ela transferiu suas ações para outra entidade da Huawei, a Huawei Technologies (Netherlands) BV, mostram os registros brasileiros.

Papel Público

Os registros corporativos de Hong Kong mostram que, em 2005, Hu e Guo se tornaram diretores da Hua Ying, a afiliada da Huawei, poucos dias após a incorporação da unidade naquele ano. Hua Ying mais tarde desempenhou um papel fundamental na suposta venda da Skycom pela Huawei.

Os registros da Skycom em Hong Kong mostram que Hua Ying adquiriu todas as ações da Skycom em fevereiro de 2007, nove meses depois, Hua Ying transferiu as ações para uma empresa chamada Canicula Holdings Ltd, uma holding registrada nas Ilhas Maurício.

As autoridades americanas alegam que a Huawei nunca desistiu do controle da Skycom. Em documentos judiciais protocolados no Canadá, eles alegam que a Huawei tratou a Canicula como uma subsidiária e que a Huawei emprestou dinheiro a Canicula para comprar a Skycom, o empréstimo veio de outra afiliada da Huawei, a Huawei Tech Investment, dizem eles, Huawei Tech Investment é a empresa co-proprietária da Huawei Brasil com a Skycom.

Hu e Guo hoje estão entre os executivos de alto nível da Huawei, ás vezes, ambos desempenharam papéis públicos importantes na gigante da tecnologia.

Pouco depois da prisão de Meng em 2018, Hu deu uma entrevista coletiva na China com a mídia internacional, em parte para tratar das alegações dos EUA contra a Huawei, questionado sobre o relacionamento da Huawei com a Skycom, ele disse que não poderia fornecer nenhuma informação porque o assunto estava “sob um processo judicial”.

Voltar ao Topo