Notícias

Os 10 principais piores erros de português cometidos pelas pessoas

Você já cometeu algum equívoco ao falar ou escrever alguma palavra e percebeu o erro tarde demais? Aposto que sim. Sabemos que a língua portuguesa exige estudos e paciência, afinal, são regras e mais regras, com suas infinitas exceções. Além disso, recentes mudanças trouxeram mais dúvidas aos confusos falantes do idioma.

Para esclarecer essas confusões, separamos os 10 principais erros que as pessoas cometem ao se expressarem, seja pela fala ou pela escrita, e buscamos explicar quais as suas formas corretas. Confira abaixo.

 

Responsáveis por um dos maiores equívocos na língua portuguesa, essas duas palavras são extremamente diferentes, porém muitos as utilizam para a mesma função.

Mais: tem função de soma, adição, aumento, superioridade ou grandeza.

Exemplo: ‘Temos mais experiência que eles’.

Mas: expressa oposição ou restrição, sinônimo de porém.

Exemplo: ‘Sabemos disso, mas não concordamos com a sua afirmação’.

 

 

Vir: é a forma correta da locução verbal vai vir.

Exemplo: ‘Você vai vir amanhã?’

Vim: só é usada na 1ª pessoa do singular do pretérito perfeito do indicativo.

Exemplo: ‘Ontem eu vim e não te encontrei’.

 

‘Culpadas’ por muitos erros na escrita da língua portuguesa, elas são faladas da mesma forma, mas usadas em situações bem diferentes.

Há: usada quando o verbo haver significa existir ou em expressões que indicam tempo decorrido.

Exemplo: ‘Há um jeito de fazer isso sem precisar ir até lá’.

Exemplo: ‘Há muito tempo não visito a minha sogra’.

A: usada quando não for possível a conjugação do verbo haver nem como existir e nem em uma frase que indique tempo decorrido.

Exemplo: ‘Daqui a pouco irei para a festa’.

 

Através: significa de um lado para o outro, no sentido de transpor, cruzar ou atravessar alguma coisa, com a ideia de movimento físico.

Exemplo: ‘Eu conseguia ver a rua através da janela’.

Por meio de: significa por intermédio de, sem a ideia de movimentação física.

Exemplo: ‘Soube da tragédia por meio de um telefonema’.

 

De onde: é a forma correta para indicar origem.

Exemplo: ‘De onde ele veio?’

Da onde: não existe.

 

Comprimento: usado quando se quer expressar o tamanho de alguém ou de alguma coisa.

Exemplo: ‘O comprimento da calça está ruim para você’.

Cumprimento: referente a uma saudação, elogio ou ao fato de concluir alguma atividade.

Exemplos: ‘Ainda não cumprimentei o Pedro pelo aniversário’.

‘Cumpri a tarefa que me passaram dentro do prazo estipulado’.

 

Faz: pode parecer estranho para muitas pessoas, mas sempre que o verbo fazer for referente a um tempo decorrido ou indicar um fenômeno atmosférico, ele deve ser usado no singular.

Exemplo: ‘Faz dois anos que não vou à praia’.

Fazem: deve ser usado em frases com sujeito.

Exemplo: ‘Eles fazem muita falta’.

 

Houve: quando o verbo significar existir, deve ser usado no singular.

Exemplo: ‘Houve dias em que achei que não conseguiria’.

Houveram: não existe.

Junto com: é uma expressão redundante. A palavra junto significa unido e a preposição com também.

Junto à – ao: forma correta, devido à redundância explicada acima.

Exemplo: ‘A areia fica junto ao mar’.

 

Mal: antônimo de bem, usado principalmente para indicar algo errado.

Exemplo: ‘Eu tenho me sentido mal ultimamente’.

Mau: antônimo de bom, usado principalmente para indicar algo ruim.

Exemplo: ‘Ele é um mau jogador’.

Voltar ao Topo