Óleo e Gás

Operadoras brasileiras em óleo e gás correm o risco de perder o progresso

Operadoras

Apesar dos avanços significativos na abordagem dos riscos de Drops, as operadoras brasileiras em O&G e outros setores industriais importantes correm o risco de perder o progresso inicial ao optar por soluções de segurança de baixo custo, à medida que os mercados globais experimentam volatilidade.

Trabalhar apenas com o preço na aquisição pode deixar os operadores sobrecarregados com soluções menos eficazes e de qualidade inferior que exigem substituição regular. Mas um foco renovado na instalação de soluções de alta qualidade, duráveis ​​e de primeira linha fará com que as operadoras do setor se beneficiem de gastos reduzidos com prevenção de Drops e taxas de incidentes reduzidas.

Isso está de acordo com o líder global em prevenção de queda de objetos (Drops), Dropsafe, e fornecedor brasileiro veterano de O&G Componentes Polares, que assinaram um contrato de distribuição. O acordo foi estabelecido para fornecer às operadoras de O&G da região o fornecimento rápido e confiável de soluções de Drops de melhores práticas, como Dropsafe Barrier, Net e Pouch.

O grande mercado de petróleo e gás do Brasil está evoluindo rapidamente à medida que as empresas no mercado se adaptam a um ambiente regulatório e operacional em constante mudança. O crescente reconhecimento dos riscos de Drops por parte dos principais participantes nacionais e internacionais tem impulsionado uma corrida para garantir que os ativos sejam protegidos, especialmente em vista do envelhecimento das instalações offshore. Lidar com esse problema é vital, pois ativos mais antigos podem exibir altos níveis de corrosão e exigir atenção extra.

Dropsafe e Polar destacaram uma tendência atual na região para minimizar o gasto inicial durante a aquisição de SMS, o que pode minar os esforços de mitigação de risco de longo prazo. Em particular, o uso de redes de baixa qualidade e ‘eslingas’ improvisadas para retenção secundária de acessórios suspensos é uma preocupação para os profissionais de SMS.

Essas soluções de rede de baixo custo muitas vezes não atendem aos padrões internacionais de práticas recomendadas de prevenção de quedas, exigindo substituição regular e, em última análise, levando à montagem de equipamentos de longo prazo e custos de manutenção.

Há uma falsa economia semelhante quando se opta por barreiras mais baratas, que evitam que objetos caiam através das fendas nas grades de proteção, conforme descrito no white paper da Dropsafe ‘Slipping Through the Cracks’. Esses riscos podem ser mitigados de forma mais eficaz usando sistemas de barreira mais robustos e versáteis que oferecem instalação rápida e manutenção mínima, reduzindo significativamente os custos de mão de obra ao longo do ciclo de vida do sistema.

A Dropsafe e a Polar apontaram, portanto, uma oportunidade comercial significativa para as empresas brasileiras de O&G investirem em soluções Drops duráveis ​​e de longo prazo. Crucialmente, ao investir em soluções robustas de Drops cobertas por garantia e respaldadas por um amplo seguro de responsabilidade, as empresas no Brasil podem ter a certeza de que administraram com eficácia os riscos apresentados pela Drops para pessoal, equipamento e reputação. A parceria firmada entre as duas empresas tornará esse objetivo mais acessível para as operadoras brasileiras, garantindo o fornecimento oportuno de soluções robustas de prevenção de Drops.

Mike Rice, Diretor Comercial da Dropsafe, disse: “O Brasil é um mercado crucial para O&G globalmente e continua a atrair investimentos de gigantes da energia. É por isso que construir uma cultura robusta de prevenção de quedas é vital – incidentes de segurança graves podem ter impactos devastadores sobre o pessoal e podem levantar preocupações para os investidores. Para gerenciar as pressões orçamentárias de forma mais eficaz, é fundamental que a indústria olhe para os equipamentos de segurança como um ativo de longo prazo, ao invés de um consumível. ”

Alasdair Kelman, Gerente Técnico de Componentes Polar, disse: “Estamos orgulhosos de trabalhar com a Dropsafe para lidar com os riscos de Drops no Brasil. Tanto O&G upstream e downstream, fábricas de produtos químicos e instalações de geração de energia no Brasil viram mudanças rápidas na consciência sobre os riscos de Drops. Nossa parceria com a Dropsafe trará as melhores soluções para o Brasil para capacitar as operadoras à medida que elas continuam a desenvolver programas de prevenção de Drops de boas práticas e otimizar seus investimentos em HSE. ”

O acordo de distribuição com a Polar Components estende a rede de suporte da Dropsafe para a América Latina, seguindo o acordo anterior assinado com a Jaguar Oilfield Services na Guiana em setembro

Voltar ao Topo