Petróleo

OPEP + vai garantir que os preços do petróleo não caiam novamente, diz chefe da OPEP

A aliança OPEP + garantirá que os preços do petróleo não caiam abruptamente novamente quando se reunir para definir a política no final de novembro, disse o secretário-geral da OPEP na quinta-feira, acrescentando que a demanda está se recuperando mais lentamente do que o esperado.

“Quero assegurar-lhes que a parceria da OPEP, não-OPEP, continuará a fazer o que sabe melhor, garantindo que não recaímos nesta queda quase histórica que vimos”, disse Mohammad Barkindo.

Barkindo estava respondendo a uma pergunta no Fórum de Inteligência de Energia sobre se havia espaço para um aumento planejado na produção de petróleo a partir de janeiro pela OPEP +, um agrupamento que inclui estados da OPEP, Rússia e outros aliados.

“Temos que ser realistas, pois essa recuperação não está acelerando no ritmo que esperávamos no início do ano”, disse ele. “A própria demanda ainda parece anêmica”.

Uma reunião técnica do comitê OPEP + está ocorrendo na quinta-feira para discutir o cumprimento dos cortes de petróleo e os fundamentos do mercado.

O grupo cumpriu 102% com seus cortes em setembro, disseram duas fontes da OPEP + à Reuters.

Países como Iraque, Nigéria e Emirados Árabes Unidos, que não cumpriram seus compromissos, foram solicitados a fazer cortes adicionais até o final do ano para compensar o déficit.

Barkindo disse que o esquema de compensação estava funcionando bem.

OPEP + deve-se a cortes de redução da produção em 2 milhões de barris por dia (bpd), de 7,7 milhões de bpd atualmente, em janeiro.

Barkindo disse que quando a OPEP + realizar suas reuniões ministeriais em 30 de novembro e 1 de dezembro, fará um balanço de todo o ano para informar qualquer decisão de manter o curso ou alterar sua política.

Na terça-feira, o ministro da Energia dos Emirados Árabes Unidos disse no mesmo evento que a OPEP + manterá seus planos de diminuir os cortes na produção de petróleo a partir de janeiro.

Voltar ao Topo