Petróleo

Opep deve fazer apelo correto à economia mundial frágil

Os países da Opep, que se reunirão na próxima semana para discutir seu nível de produção de petróleo, devem tomar a decisão certa para a economia global, que permanece “muito frágil”, disse o chefe da Agência Internacional de Energia à Reuters na terça-feira.

“Cabe aos países da OPEP decidir, mas o que vejo é que a pressão é forte sobre a OPEP e a Rússia, como resultado do forte crescimento vindo dos países não membros da OPEP – EUA, Brasil, Noruega, Guiana e outros ”, disse Fatih Birol em entrevista à margem de uma conferência sobre energia em Oslo.

“Haverá muito petróleo nos mercados. Espero que eles tomem a decisão certa para si e para a economia global, que ainda é muito frágil. ”

No geral, ele esperava que a oferta de petróleo fosse abundante, resultado da desaceleração da demanda devido ao crescimento econômico mais fraco, especialmente na China.

Voltando aos Estados Unidos, Birol disse esperar que o crescimento da produção no setor de óleo de xisto diminua em relação aos níveis “explosivos” anteriores, disse ele, devido às dificuldades financeiras de alguns dos produtores de xisto dos EUA, não porque os recursos de xisto estavam se esgotando.

“Chegará este ano, no próximo ano … Vai desacelerar”, disse Birol. “Não espero um declínio, pois as coisas estão agora, mas espero que haja uma desaceleração no crescimento”.

Ainda assim, a maior parte do crescimento da produção de petróleo será proveniente dos Estados Unidos nos próximos anos.

“Não veremos o crescimento explosivo da produção de xisto nos EUA, mas ainda esperamos um crescimento vindo dos Estados Unidos, não apenas do xisto, do Golfo do México (também)”, disse ele.

“Os EUA serão o país dominante em termos de onde o crescimento da produção de petróleo ocorrerá nos próximos cinco anos.”

Voltar ao Topo