Petróleo

OPEP + considerando cortes para a produção de abril

A OPEP e outros produtores de petróleo, um grupo conhecido como OPEP +, estão considerando prorrogar os cortes de produção para abril em vez de aumentar a produção, já que a recuperação da demanda por petróleo permanece frágil devido à crise do coronavírus, disseram três fontes da OPEP + à Reuters.

Os ministros da OPEP + realizam uma reunião completa na quinta-feira.

O mercado esperava que a OPEP + aliviasse os cortes de produção em cerca de 500.000 barris por dia (bpd) a partir de abril.

A Arábia Saudita, líder da OPEP, também deve encerrar seu corte voluntário de produção de mais 1 milhão de barris diários.

Mas três fontes da OPEP + disseram na quarta-feira que alguns membros importantes da OPEP sugeriram manter a produção do grupo inalterada.

Uma reunião do painel ministerial terminou na quarta-feira sem fazer qualquer recomendação de política, duas fontes da OPEP + disseram à Reuters.

Não ficou claro se a Arábia Saudita encerraria seus cortes voluntários ou os estenderia, disseram eles.

Os preços do petróleo saltaram cerca de US $ 1 por barril com a notícia, sendo negociados perto de US $ 64 por barril.

Na terça-feira, um documento de especialistas da OPEP +, visto pela Reuters, pediu “otimismo cauteloso”, citando “incertezas subjacentes nos mercados físicos e sentimento macro, incluindo riscos de mutações COVID-19 que ainda estão em ascensão”.

O relatório disse que uma recente alta do preço do petróleo pode ter sido causada mais por agentes financeiros do que por melhorias nos fundamentos do mercado.

A OPEP espera que a demanda global de petróleo em 2021 cresça 5,8 milhões de bpd para cerca de 96 milhões de bpd. Isso ainda seria menor do que a demanda em 2019, que era de cerca de 100 milhões de bpd.

Espera-se que a Rússia pressione por mais aumentos. Mas em fevereiro não conseguiu aumentar a produção, apesar de ter sido autorizado a fazê-lo pela OPEP + como o inverno rigoroso atingiu a produção em campos maduros.

O JP Morgan, que disse ter falado com o representante da Rússia no comitê técnico da OPEP +, Denis Deryushkin, informou que a Rússia viu alguma razão em aumentar a produção, já que o mercado de petróleo estava em um déficit de 500 mil bpd.

“A Rússia acredita que se a produção for mantida nos níveis atuais, o mercado entrará em um déficit ainda mais severo”, disse o banco. “Dessa forma, a produção precisa ser restaurada, mas a velocidade e a quantidade ainda não foram decididas”.

Voltar ao Topo