Petróleo

OPEP + atende em meio à queda do preço do petróleo e a preocupação com o impacto

A OPEP e seus aliados, liderados pela Rússia, estão programados para realizar uma reunião online na quinta-feira para discutir o cumprimento de seus cortes de produção acordados e tendências de demanda em meio à queda dos preços do petróleo e uma perspectiva vacilante de recuperação econômica.

O principal painel da OPEP + analisará um documento interno que alertava que um aumento nos casos de coronavírus em alguns países pode reduzir a demanda por petróleo, apesar dos sinais de recuperação econômica e das indicações iniciais de um declínio nos estoques de petróleo, de acordo com uma cópia do relatório visto pela Reuters na quinta feira.

O painel dos principais produtores, incluindo Arábia Saudita e Rússia da Organização dos Países Exportadores de Petróleo e seus aliados, um grupo conhecido como OPEP +, dificilmente recomendará qualquer mudança em sua meta atual de redução de produção de 7,7 milhões de barris por dia (bpd), ou cerca de 8% da demanda global.

Eles irão, no entanto, pressionar retardatários como Iraque, Nigéria e Emirados Árabes Unidos para cortar mais barris para compensar o excesso de produção e possivelmente estender o período para a compensação, disseram fontes da OPEP +.

Na quarta-feira, um painel técnico da OPEP +, conhecido como JTC, se reuniu para analisar o cumprimento do grupo exportador de petróleo que era 101% da meta acordada em agosto, segundo fontes da Opep e o documento visto pela Reuters.

“Há sinais de recuperação econômica em algumas partes do mundo, visíveis através da melhora relativa na mobilidade e alguns indícios iniciais de quedas no estoque de petróleo pendente”, disse o painel no relatório.

“No entanto, surgiram sinais de um aumento nas infecções por COVID-19 em alguns países, levando a algumas preocupações quanto ao seu impacto na recuperação económica e na procura de petróleo.”

O painel técnico também disse estar preocupado com o aumento da superprodução acumulada, que atingiu 2,38 milhões de bpd de maio a agosto, segundo o relatório.

A reunião mensal de quinta-feira, conhecida como Comitê Conjunto de Monitoramento Ministerial (JMMC), está prevista para começar às 1200 GMT, disseram fontes da OPEP +.

Os produtores da OPEP + vêm reduzindo a produção desde janeiro de 2017 para ajudar a sustentar os preços e reduzir os estoques globais de petróleo. Eles aumentaram seus cortes para um recorde de 9,7 milhões de bpd de maio a julho, depois que a demanda despencou na esteira da crise do coronavírus.

O grupo pediu ao Iraque e outros países que aumentem sua cota em setembro para compensar o excesso de produção entre maio e julho.

Voltar ao Topo