Empregos

Oferta da Petrobras de preços unitários de combustível a R $ 24,50 por ação

A petrolífera estatal brasileira Petróleo Brasileiro SA deixou o controle da maior distribuidora de combustíveis do país em uma oferta de ações, impulsionando a privatização do novo presidente-executivo, Roberto Castello Branco.

A oferta da Petrobras Distribuidora SA foi cotada a 24,50 reais por ação, segundo duas fontes com conhecimento do assunto. A precificação final implicou em um desconto de menos de 1% para o preço de fechamento da unidade de combustível na bolsa de valores de São Paulo na terça-feira.

A expectativa é que a Petrobras cumpra integralmente as cláusulas de distribuição suplementar, vendendo uma participação de 33,75% e levantando 9,63 bilhões de reais (2,55 bilhões de dólares) com a venda, acrescentou uma das pessoas, pedindo anonimato para divulgar informações não públicas.

Os resultados finais das disposições sobre o lote suplementar serão divulgados até 28 de agosto.

Cada um dos três antecessores de Branco discutiu a privatização da Petrobras Distribuidora. A oferta de ações da cadeia de postos de gasolina ressalta o compromisso do novo governo com uma série de vendas de ativos públicos em setores que vão da energia ao financiamento.

A distribuidora de combustíveis, também conhecida como BR Distribuidora, detém 17,7% de todos os postos de gasolina do Brasil, segundo dados da ANP. Sua rival mais próxima é a Ipiranga, controlada pela Ultrapar Participações SA, com 14% dos postos de gasolina.

A venda de ativos estatais deverá promover fusões, aquisições e ofertas de ações no Brasil no segundo semestre do ano, disseram executivos de bancos e investidores, após um primeiro semestre mais lento do que o esperado.

A administração da Petrobras, nomeada pelo presidente Jair Bolsonaro em janeiro, está saindo agressivamente dos negócios de downstream e midstream para aprimorar seu foco na exploração e produção de petróleo offshore.

Os analistas do UBS AG e do Banco Bradesco SA têm ratings de “compra” e “outperform” na Petrobras Distribuidora, com metas de preço de 30 e 35 reais, respectivamente. Ambos dizem que a privatização vai libertar a empresa de algumas obrigações legais onerosas.

“Os custos com pessoal devem cair após a privatização”, escreveram os analistas do UBS, liderados por Luiz Carvalho.

A oferta foi liderada pelas unidades de banco de investimento do JPMorgan Chase & Co, do Citigroup Inc., do Itaú Unibanco Holding SA, do Bank of America, do Credit Suisse Group AG e do Banco Santander Brasil SA. ($ 1 = 3.7735 reais)

(Adiciona preço, valor total que a Petrobras espera aumentar)

Voltar ao Topo