Empregos

Novo estaleiro abrirá seis mil empregos diretos e indiretos

As prefeituras de Cabedelo e Lucena, no Litoral Norte da Paraíba, se uniram à iniciativa privada,por meio do grupo McQuilling Services LLC, com o objetivo de criar a infraestrutura para a instalação do estaleiro lucenense, em Costinha. Ontem, foi dado passo decisivo nesse sentido, com o anúncio da construção de polo metal-mecânico, na cidade portuária, destinado a fabricar peças a serem usadas no futuro estaleiro.

O empreendimento deverá ser iniciado em 2017 com investimento de R$ 1,9 bilhão. A Paraíba ganhou a concorrência para o estaleiro na disputa com o Paraná.

O anúncio foi feito durante reunião do secretário de Indústria, Comércio e Porto de Cabedelo, Hugo Braga, com o executivo e representante do Grupo McQuilling Services LLC, Roberto Braga, responsável pela construção do estaleiro de Lucena, o primeiro do hemisfério Sul, que terá denominação de Empresa de Docagens Pedra do Ingá (EDPI).

“Esse primeiro contato foi bastante positivo, pois o polo criará as condições, em termos de fornecimentos de insumos, para o funcionamento do estaleiro, que vai gerar cerca de 1.500 empregos diretos e outros 4.500 postos de trabalho indiretos. Será algo bastante positivo para a cidade e para o empreendimento maior, dada a localização privilegiada de Cabedelo em frente à Lucena”, disse o secretário Hugo Braga.

+ Empresa chinesa vai construir refinaria no Brasil e promete gerar 10 mil empregos

Navios atracando no Porto

Segundo o secretário Hugo Braga, “o estaleiro deve aumentar a quantidade de navios que irão atracar no Porto de Cabedelo, não somente pela proximidade do local onde poderão ser consertados, mas pelo fato de o próprio estaleiro gerar movimentação de insumos a serem usados para realização dos reparos”.

O representante do grupo de investidores McQuilling Services LLC, Celso Souza destacou que até 2016 a McQuilling Services LLC estudava a implantação do estaleiro no estado do Paraná.

Porém, segundo ele, à medida que se avançou no estudo das condições ambientais envolvidas, foi constatado que o prazo para viabilização da unidade nos moldes que vinha sendo tratado pelos empreendedores seria muito longo e, a partir daí, se retomou a busca por outras opções de localização. O protocolo de intenções foi assinado com o governo da Paraíba no último dia 12 de novembro.

Saiba mais

Indústria de Óleo e Gás contrata Operador de Produção Offshore – Currículo até dia 22

Voltar ao Topo