Óleo e Gás

Nova fortaleza ganha posição no Brasil, adiciona frete de GNL na aquisição de $ 5 bilhões

A New Fortress Energy Inc. disse quarta-feira que está adquirindo a Golar LNG Partners LP (GMLP) e a Hygo Energy Transition Ltd. em um negócio avaliado em US $ 5 bilhões que expande as operações na América Latina e fornece ativos de transporte de gás natural liquefeito (GNL). 

Hygo é uma joint venture 50-50 entre a Golar LNG Ltd. e um fundo administrado pela Stonepeak Infrastructure Partners com operações de distribuição de gás para energia e downstream de GNL. A GMLP possui e aluga transportadoras de GNL e unidades flutuantes de regaseificação e armazenamento (FSRU). 

O acordo fortaleceria o negócio principal da NFE de introdução de GNL em mercados que carecem de acesso para geração de energia e outras necessidades. A aquisição também expande os terminais de importação de GNL da empresa para nove dos cinco que estão operacionais ou em desenvolvimento, especialmente no Brasil, o que deve impulsionar a demanda de GNL na América Latina na próxima década.

“Com uma forte presença no Brasil e um negócio de transporte marítimo de GNL de classe mundial, Hygo e GMLP são excelentes adições aos nossos esforços para acelerar a transição energética mundial”, disse o CEO da NFE Wes Edens. “A adição da Hygo expandirá rapidamente nossa presença na América do Sul com três projetos de gás para energia no grande e crescente mercado do Brasil. Com o GMLP, ganhamos navios de GNL e operadores de classe mundial que são ideais para apoiar nossos terminais existentes e dutos robustos ”.

Da Hygo, a NFE iria adquirir um navio FSRU em operação e uma participação de 50% em uma usina de 1.500 MW em Sergipe, Brasil, bem como dois terminais FSRU com 1.200 MW em desenvolvimento. A frota da Hygo também consiste em um FSRU recém-construído e dois transportadores operacionais de GNL que serão adquiridos. A NFE também iria adquirir a frota da GMLP de seis FSRUs, quatro transportadores de GNL e uma participação de 50% nas duas primeiras unidades de produção do Hilli Episeyo, um navio de liquefação flutuante. 

Nos termos da transação, a NFE concordou em trocar 31,4 milhões de ações ordinárias da Classe A e $ 580 milhões por todas as ações em circulação da Hygo. O negócio da Hygo tem um valor de empresa de $ 3,1 bilhões e um valor patrimonial de $ 2,18 bilhões. A NFE também concordou em adquirir por $ 3,55 / cada todas as unidades comuns em circulação da GMLP, um negócio com um valor empresarial de $ 1,9 bilhão e $ 251 milhões em valor patrimonial. A alienação da Hygo e da GMLP reduziria a frota sob o guarda-chuva da Golar LNG Ltd. pela metade.

O conselho e os acionistas da Hygo aprovaram a aquisição. O conselho do GMLP também aprovou a transação, que está sujeita à aprovação dos acionistas. As transações devem ser concluídas até o final de junho.

As empresas Golar são pioneiras em tecnologias de liquefação flutuante. A NFE tornou-se pública no ano passado e continuou sua transição para uma empresa operacional. A NFE opera ou está desenvolvendo ativos de GNL de pequena escala em todo o mundo, incluindo terminais de importação, instalações de gestão de combustível, infraestrutura de regaseificação, usinas elétricas movidas a gás e instalações intermediárias no Caribe, Europa, América Latina e Estados Unidos. Na América Latina, a NFE espera colocar projetos de GNL online este ano no México e na Nicarágua. 

Os acordos de fusão dariam à empresa uma posição no Brasil, onde a energia a gás natural é usada principalmente como reserva para energia hidrelétrica e é valorizada por sua flexibilidade. De acordo com o Berkeley Research Group, a geração de energia a gás natural no Brasil pode crescer 20 GW até 2040, passando de 9% da matriz energética para 15%.

A NFE também está se expandindo no mercado de hidrogênio com um investimento na H2Pro, uma startup com sede em Israel que desenvolve tecnologia de produção de hidrogênio. Por meio de uma nova divisão chamada Zero, ela também fez parceria em um projeto de usina termoelétrica em Ohio que combinaria hidrogênio para produzir eletricidade.

A NFE compartilha “nossa visão de fornecer energia mais barata e mais limpa para uma população em crescimento”, disse o presidente da Golar LNG, Tor Olav Trøim. “A consolidação de dois dos participantes empresariais a jusante de GNL dá à empresa melhor acesso ao capital e cria uma empresa de transição de energia líder mundial única, da qual os acionistas da Golar se beneficiarão por fazerem parte do futuro.”

Voltar ao Topo