Offshore

Nova fábrica da Honda tem previsão para entrar em operação em 2016

As obras civis da segunda fábrica da Honda Automóveis Brasil, em Itirapina, interior de São Paulo, foram concluídas em abril. Todos os equipamentos foram instalados e, atualmente, estão em fase de testes e ajustes. Segundo a empresa, esse processo é fundamental para garantir a qualidade da produção, e deverá ser concluído no início do ano que vem.

A nova fábrica, prevista para entrar em operação no primeiro semestre de 2016, terá capacidade para produzir 120 mil automóveis, modelo Honda Fit. A previsão é de que gere dois mil empregos diretos e ainda contribua para incentivar a cadeia de produção de pequenos e médios fornecedores do setor automotivo instalados na região.
Localizada a cerca de 200 km da capital e a 100 km de Sumaré (SP), onde funciona outra fábrica da Honda, o empreendimento em Itirapina representa investimento de R$ 1 bilhão da Honda no Brasil. A fábrica está instalada numa área de 5,8 milhões de m², segundo a empresa, com acesso facilitado ao sistema viário, com boa infraestrutura, e que permite futuras expansões. O empreendimento fica no entroncamento das rodovias Paulo Nilo Romano (SP-225) com a Washington Luís (SP-310
A proximidade com a fábrica de Sumaré vai facilitar as operações da nova unidade de produção. De acordo com o diretor de Produção da Honda, Otávio Mizikami, motores e peças plásticas serão fornecidos pela fábrica de Sumaré. “Além disso, podemos aproveitar toda a cadeia de fornecimento, que poderá ser compartilhada.”
As obras da fábrica da Honda em Itirapina, que tem área total coberta de 182,6 mil m², foram iniciadas em 2013. Sob responsabilidade da Construtora Toda do Brasil, chegaram a envolver mais de 50 fornecedores de serviços e um time de mais de 1,5 mil pessoas. Segundo Mizikami, um dos maiores desafios ao longo da construção da nova fábrica de automóveis foi conciliar todo o projeto com o processo produtivo, além de cumprir o cronograma e escolher os parceiros para o empreendimento.
Acompanhadas pela equipe de fiscalização da Honda, as obras da fábrica de Itirapina envolveram a movimentação de mais de 3 milhões de m³ de terra. Segundo Mizikami, a fundação foi do tipo estaca escavada, os pilares e vigas foram pré-moldados, com estrutura metálica tipo tesoura. A cobertura foi feita com telha sanduíche (trapezoidal, revestida com lã de rocha), garantindo conforto térmico e acústico.
Meio ambiente
A nova unidade de produção de automóveis da Honda no Brasil contemplou ações de sustentabilidade e de meio ambiente. “O compromisso ambiental sempre fez parte da história da Honda em todo o mundo”, afirma o diretor de Produção. Segundo ele, desde o início das obras em Itirapina, as intervenções foram mínimas e sempre respeitando a fauna e a flora da região.
Entre as ações da empresa voltadas para o meio ambiente está o plantio de aproximadamente 70 mil mudas de árvores nativas próximo à área de 400 mil m² de preservação permanente que foi mantida no local. Com isso, segundo Mizikami, “cria-se um grande corredor ecológico no local”. Na fábrica de Itirapina, o diretor também lembra que foram implantadas ações que já fazem parte do cotidiano da companhia em todo o mundo. Entre elas, destacam-se o uso racional de água, o tratamento de todos os efluentes gerados na produção, o gerenciamento e destinação adequados de resíduos e a reciclagem de papel, vidro e plástico.
Durante o processo de produção, a fabricante de automóveis também diz que contará com tecnologias que permitem a redução das emissões de poluentes. Entre essas iniciativas, um exemplo é o método de pintura a base d’água, que permite manter a mesma qualidade no processo com menos quantidade de tinta e, consequentemente, menor emissão de CO2.
Voltar ao Topo