Notícias

Niterói: investimento na indústria naval aumenta a expectativa de emprego

Em Niterói (RJ), investimento na indústria naval aumenta a expectativa de emprego. O Projeto idealizado pela prefeitura tem como uma das principais metas a recuperação do canal de São Lourenço.

No início do mês de dezembro, a Prefeitura de Niterói, na região metropolitana do Rio de Janeiro, apresentou projeto da Frente Marítima no município, o Polo Mar. A iniciativa pretende a retomada de um dos principais setores de geração de vagas de emprego no estado do Rio, a indústria naval.

Uma das propostas do plano é a dragagem do canal de São Lourenço que trará benefícios para a economia local, meio ambiente e moradores da Ilha da Conceição. O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Niterói e Itaboraí, Edson Carlos da Silva, acredita que a recuperação do canal de São Lourenço irá impactar também o setor pesqueiro do município.

“É uma questão necessária fazer a dragagem no canal de São Lourenço, brigamos há muitos anos. Ambientalmente falando, só a ideia da água circular é algo muito bom para a vida marinha. E naquele local tem o entreposto pesqueiro em Niterói que estava parado por causa do assoreamento. O entreposto gera fonte de renda e vai poder trabalhar a pleno vapor”, afirma Silva.

De acordo com as informações apresentadas pela prefeitura durante o lançamento do plano no início do mês, além da dragagem, o projeto prevê a criação de programas de qualificação técnica para o setor, a promoção comercial para atração de fornecedores e rodadas de negócios, editais para o desenvolvimento de tecnologias para o setor marítimo, portuário, pesqueiro e de óleo e gás, a requalificação urbana, de infraestrutura e dos acessos à Ilha da Conceição, e a implementação do terminal pesqueiro. Segundo os dados apresentados pelo governo municipal, até 2030 a taxa de emprego na cidade de Niterói terá um crescimento de 2,8% ao ano.

Para Edson Calos, a iniciativa é local, mas já causará um efeito positivo na retomada de postos de trabalho que impactarão na vida de muitas famílias que dependiam direta e indiretamente da indústria naval no estado do Rio.

“Temos 15 mil trabalhadores desempregados neste setor só no município [de Niterói], isso de mão de obra direta. Se considerarmos as indiretas, o comércio e as outras empresas que vivem ao redor, temos 60 mil pessoas dependendo da indústria naval em Niterói, Itaboraí e São Gonçalo que estão desempregadas ou prestes a perder o emprego nesses três municípios”, detalha.

A secretária municipal de Fazenda, Giovanna Victer, já realizou uma reunião para definir um cronograma de ações, que inclui programas de qualificação técnica para o setor e a promoção comercial para atração de fornecedores e rodadas de negócios.

Voltar ao Topo