Offshore

Miros fornecerá à Petrobras sistemas de detecção de derramamento de óleo

O especialista em monitoramento do estado do Mar, Miros Group, ganhou um acordo para fornecer oito sistemas de detecção de derramamento de óleo (OSD) para a Petrobras.

Miros disse na quarta-feira que o contrato era “o maior contrato de vigilância e resposta de OSD baseado em radar de banda-X do mundo até o momento”.

O contrato é feito em parceria com a Ulstein Belga Marine, principal fornecedora da Petrobras, e inclui radares e câmeras de imagem térmica para as unidades móveis de produção offshore (MOPUs) da Petrobras na Bacia de Campos.

Segundo a empresa, a entrega e o comissionamento dos equipamentos estão previstos para 2019.

O pano de fundo para a entrega recorde é um acordo firmado em fevereiro de 2018 entre a Petrobras e a Agência Ambiental Federal Brasileira, o Ibama, comprometendo a Petrobras a aperfeiçoar recentemente os padrões de controle de descarga de óleo na água.

Andreas Brekke , CEO da Miros, disse: “Fornecemos sistemas OSD desde 2004, e essa entrega representa um novo marco para a Miros em parceria com a Ulstein Belga Marine. Não apenas pelo volume, mas pela importância de nossa contribuição comum no fornecimento de uma solução que ajudará a Petrobras a cumprir suas obrigações ambientais para com o Ibama e o governo brasileiro ”.

De acordo com a empresa, a solução OSD fornece detecção e alertas automáticos de vazamento de óleo diurnos e noturnos contínuos usando uma combinação de radar de banda X, imagens térmicas, rastreamento de embarcações AIS e câmeras infravermelhas e de luz diurna giro-estabilizadas.

Os sistemas Miros são implantados em instalações offshore, embarcações ou estações baseadas em terra, seja como sistemas independentes ou como parte de uma rede de sensores.

“Os requisitos para reduzir o impacto ambiental das atividades offshore estão aumentando em todos os lugares. O Miros OSD pode ajudar a dar às autoridades e operadores a confiança de que estão aplicando a melhor tecnologia disponível para detectar, controlar e recuperar derramamentos de óleo ”, acrescentou Brekke. (Fonte)

Voltar ao Topo