Economia

Menor produtividade de café no Brasil em 2021

O Brasil, maior produtor e exportador de café do mundo, pode ver sua safra de 2021 encolher em até um terço neste ano, principalmente devido à seca, informou a agência de estatísticas agrícolas Conab na quinta-feira.

A colheita será entre 21,4 por cento e 30,5 por cento menor que em 2020; um ano recorde com 63 milhões de sacas de 60 quilos (132 libras) produzidas, disse a agência em seu primeiro relatório para o ano.

Em 2021, a produção provavelmente ficaria entre 43,9 milhões e 49,6 milhões de sacas.

A planta do café arábica, da qual o Brasil obtém 77% do café que produz, cresce em safras alternadas de alta e baixa produtividade.

2020 foi um ano de alto rendimento e 2019 foi uma boa temporada para um ano de baixo rendimento com 49,3 milhões de sacas.

A Conab disse que a atual safra de baixa produtividade já traz “efeitos fisiológicos negativos” para as plantas das regiões produtoras, agravados pelas “condições climáticas adversas”. Partes do país sofreram severas secas e ondas de calor no ano passado.

Somente para o feijão arábica, a produção brasileira pode cair até 39,1% em relação ao ano passado, disse a Conab.

Mas o café robusta, menos afetado pelo ciclo bienal da planta, a produção pode realmente aumentar, disse o relatório.

No início deste mês, o maior produtor mundial de café arábica, a Colômbia, disse ter exportado 1,2 milhão de sacas de 60 kg a menos em 2020, principalmente devido às restrições de viagens exigidas pela pandemia do coronavírus.

Voltar ao Topo