Investimentos

Mais de dez startups brasileiras levantaram recentemente US$2 milhões em financiamento na área da Baía de São Francisco

Fábrica de Startups e Shell Brasil iniciam segundo ciclo de programa de inovação

Uma nova pesquisa do BayBrazil mapeou startups e fundos de capital de risco liderados por brasileiros no Vale do Silício e descobriu que, pela primeira vez, existem 11 startups lideradas por brasileiros (o maior número registrado) na área da Baía de São Francisco que arrecadaram $2 milhões ou mais em nos últimos dois anos.

O número de investidores brasileiros no Vale do Silício também é o primeiro do tipo: sete, segundo Margarise Correa, CEO e fundadora do BayBrazil, esse número, embora baixo, é significativo porque a comunidade brasileira na Bay Area é muito menor do que outras, como a indiana e a chinesa, “Não conheço comunidades aqui na região que tenham um número semelhante de VCs”, disse ela, na lista de VCs do BayBrazil, estão Tau Ventures, OneVC, Positive Ventures e Indicator Capital, sediada em Palo Alto.

Startups em alta no relatório do BayBrazil

De acordo com o relatório atualizado do BayBrazil, o valor total combinado que essas startups de tecnologia arrecadaram é de US $849 milhões e a maioria das rodadas foi arrecadada nos últimos 24 meses.

Liderando o grupo em termos de arrecadação de fundos e destaque nos meios de comunicação está o BREX, com sede em São Francisco, a fintech anunciou sua última rodada da Série C de $150 milhões em maio e acumulou $465 milhões em financiamento de capital de risco, agora, está avaliado em US $ 2,6 bilhões.

Olivia AI, de Palo Alto, uma assistente financeira pessoal movida a inteligência artificial, também arrecadou recentemente uma rodada significativa: US $9,1 milhões, em janeiro, liderada pela BVx, de acordo com a pesquisa, Olivia está fazendo parceria com grandes bancos para ajudar seus clientes a administrar dinheiro, embora os principais parceiros atuais estejam no Brasil, a equipe de IA / Machine Learning da fintech está no Vale do Silício.

Há também a startup Meemo, com sede em San Francisco, um aplicativo de finanças sociais que oferece recompensas personalizadas, ele arrecadou US $10 milhões em fundos iniciais em julho, após um período de sigilo de um ano.

De acordo com o relatório, a presença no Vale do Silício é um caminho natural para a escala da maioria das startups de crescimento brasileiras, a equipe do BayBrazil notou que duas empresas lançaram operações na região após escalar seus negócios no Brasil e levantar valores: Pipefy e Incognia.

Fundada no Brasil, Pipefy, uma plataforma de gestão de trabalho, estabelecida em San Francisco em 2018 para formar uma equipe e expandir a empresa para atender a um mercado global de gestão de processos de negócios que deve ultrapassar US $23 bilhões até 2024, Pipefy arrecadou um total de $65 milhões até agora.

Pipefy também faz parte da lista de 8 startups brasileiras a serem observadas no Vale do Silício, ao lado de Incognia, e SINAI, o primeiro software de descarbonização líder no mundo ajudando empresas a precificar as emissões de carbono, gerenciar impostos de carbono e reduzir as emissões em um custo de forma efetiva, acabou de arrecadar uma nova rodada de $4 milhões.

Outro destaque foi o Arena, uma plataforma de marketing baseada em nuvem para experiências ao vivo que arrecadou uma rodada de sementes de US $2,3 milhões liderada por Romero Rodrigues, da Redpoint eventures e outros investidores do Vale do Silício.

Voltar ao Topo