Notícias

Maior produção e desinvestimento impulsionam resultado da Petrobras no 3T

A Petrobras do Brasil registrou um aumento no lucro líquido do 3T, refletindo principalmente o aumento na produção de petróleo e gás e o ganho de capital com a venda da distribuidora de combustíveis BR Distribuidora.

O lucro líquido atribuível aos acionistas da Petrobras no trimestre foi de R $ 9,1 bilhões, ante R $ 6,6 bilhões no terceiro trimestre de 2018.

A Petrobras informou que no 3T, a forte queda no Brent foi mitigada pelo bom desempenho operacional e pelo aumento da participação do pré-sal na produção total (60,4% da produção de petróleo no trimestre).

Segundo o CEO Roberto Castello Branco, a produção de petróleo e gás atingiu um nível recorde de 3,0 MMboed em agosto, quando também foi atingido um recorde diário de 3,1 MMboed, e o custo da extração do pré-sal caiu para apenas cinco dólares por ano. barril.

“O ramp-up das novas plataformas influenciou significativamente o crescimento da produção, com o pré-sal representando 60,4% da produção total de petróleo da Petrobras no Brasil… O custo caixa do pré-sal (custo de elevação) atingiu um nível sem precedentes de US $ 5,0 por boe , que contribuiu para o custo médio de elevação da empresa em média inferior a US $ 10 por boe (US $ 9,7 por boe) ”, afirmou o CEO.

No 3T19, os investimentos no segmento de Exploração e Produção somaram US $ 1,9 bilhão, ante US $ 3,4 bilhões no ano anterior.

Segundo dados compartilhados pela Petrobras, 50% de suas exportações de petróleo foram para os EUA, enquanto 64% de suas exportações foram para a China.

Dívida reduzida, mas ainda pesada

Comentando a dívida da Petrobras, o CEO afirmou: “A dívida bruta da Petrobras atingiu US $ 90 bilhões em 30.09.2019 contra US $ 101 bilhões no final do 2T19, o que era igual à dívida externa atual da Argentina… No entanto, temos Para reconhecer que ainda há muito a ser feito, estamos apenas no início de uma jornada com muitos
obstáculos importantes a serem superados. Ainda somos uma empresa fortemente endividada, com altos custos em um setor que enfrenta grandes desafios em um cenário global de rápidas mudanças e crescente interdependência entre diferentes atividades econômicas. ”

“O reconhecimento de nossas deficiências cada vez mais nos incentiva a trabalhar para nos tornarmos a melhor empresa de energia na geração de valor para os acionistas, focada em petróleo e
gás, com segurança, respeito às pessoas e ao meio ambiente.”

A Petrobras concluiu a oferta pública de ações da BR Distribuidora em julho, que, juntamente com a entrada de caixa da venda do cluster Pargo, assinada em 2018, resultou em uma entrada de caixa de US $ 2,9 bilhões no 3T19. Além disso, a Petrobras assinou contratos para a venda de campos de águas rasas e terrestres por um total de US $ 213 milhões.

“Essas transações, embora de valores baixos em relação ao total da carteira de ativos alienados, são de suma importância para o gerenciamento eficiente da carteira e a economia de custos, pois são ativos não essenciais. Essas vendas contribuíram para nosso total de US $ 15,3 bilhões no total de transações de desinvestimento assinado e concluído até 2019 até o momento,
incluindo transações assinadas em 2018 e concluídas em 2019 ”, afirmou a Petrobras.

Voltar ao Topo