Economia

Líderes Europeus autorizam fundo histórico de resgate a Economia

Após quatro dias de reuniões, os 27 líderes da União Européia (UE) , chegaram a um acordo nas primeiras horas desta terça-feira (21) , para superar as perdas da UE com uma quantia sem precedentes de 750 bilhões de euros (4,57 trilhões de reais), por conta da pandemia do coronavírus, a economia da UE (que pode diminuir em média 7,7% este ano).
O acordo ajudará os europeus, especialmente Itália e Espanha, a enfrentar a recessão estimada em 2020 devido à pandemia do Covid-19.
Os líderes concordaram em mobilizar 750 bilhões de euros, e a Comissão Europeia emprestará 750 bilhões de euros em nome da União Europeia no mercado financeiro, que serão alocados na forma de subsídios (390 bilhões de euros) e empréstimos (360 bilhões de euros).
Com o apoio da chanceler alemã Angela Merkel e do presidente francês Emmanuel Macron, Michel conseguiu manter o valor do fundo inalterado, mas teve que ser “econômico”, para Holanda, Dinamarca, Suécia e Áustria que pediram para reduzir o valor.
A primeira concessão é para reduzir o número de subsídios, reduzindo o montante de meio trilhão de euros para 390 bilhões de euros, que se tornará a dívida comum de 27 países (não apenas os países beneficiários), a vigilância no uso dessa contribuição também será fortalecida.
Se um país precisar levantar dúvidas sobre o uso de fundos por um de seus parceiros devido a um plano nacional de recuperação, ele deverá enviá-lo antes do pagamento e poderá solicitar aos 27 estados membros da UE que discutam a questão em nível político.
Os Diplomatas prometeram que”O uso do poder de veto será evitado.” Ele é a proposta feita pelo primeiro-ministro holandês Mark Rutte, e seu país exige que os países membros da UE concordem em fornecer subsídios.
Voltar ao Topo