Offshore

Keppel inicia revisão de luta offshore e marítima em dificuldades

O conglomerado de Cingapura Keppel Corp disse na terça-feira que identificou ativos no valor de S $ 17,5 bilhões ($ 12,8 bilhões) que poderiam ser monetizados, inclusive por meio de vendas, e iniciou uma revisão de seus negócios offshore e marítimos (O&M) deficitários.

Os planos revelados na terça-feira são parte da estratégia de 10 anos da Keppel que havia sinalizado no início deste ano para redirecionar seu portfólio para energia e meio ambiente, desenvolvimento urbano, conectividade e gestão de ativos.

A Keppel disse que estava explorando opções, incluindo fusões e alienações estratégicas para seus negócios offshore e marítimo, que constrói plataformas de petróleo e tem sido prejudicada pela queda dos preços da energia.

Em agosto, o investidor estatal Temasek Holdings abandonou sua oferta de US $ 3 bilhões para aumentar sua participação na Keppel para uma participação majoritária depois que a empresa relatou resultados fracos.

Os analistas há muito esperavam por uma consolidação no setor de construção de plataformas por meio de um acordo entre o negócio de O&M da Keppel e a rival menor, a Sembcorp Marine. A antecipação de um acordo se fortaleceu em junho, quando a Temasek apoiou uma emissão de direitos de Sembcorp Marine no valor de S $ 2,1 bilhões.

A Keppel, cujos negócios variam de telecomunicações a desenvolvimento de propriedades, disse que buscará monetizar até US $ 3,7 bilhões em ativos, como parte de seu banco de terrenos e propriedades de investimento, nos próximos anos.

A empresa vai “buscar realizar o potencial atual do grupo desbloqueando cerca de S $ 3-S $ 5 bilhões ($ 2,2- $ 3,7 bilhões) de nossos ativos monetizáveis ​​nos próximos três anos, que serão redistribuídos para aproveitar novas oportunidades e melhorar os retornos”, CEO Loh Chin Hua disse em um comunicado.

A Keppel disse que os ativos totais que identificou para monetizar potencialmente ao longo do tempo têm um valor contábil total de cerca de S $ 17,5 bilhões.

Voltar ao Topo