Notícias

JPMorgan estreia no varejo com 40% de participação no C6 Bank

c6 bank

O JPMorgan Chase & Co adquiriu uma participação de 40% no banco digital brasileiro C6 Bank, disseram as empresas na segunda-feira, fazendo sua estreia no varejo na maior economia da América Latina.

O JPMorgan anunciou em janeiro planos de expansão no varejo bancário por meio de canais digitais, começando na Grã-Bretanha. O banco norte-americano tem concentrado sua atividade no Brasil em empréstimos corporativos e banco de investimento.

“Estamos satisfeitos com a parceria com a C6 Bank e apoiando seu crescimento no Brasil, que se tornou um dos mercados de banco digital de crescimento mais rápido do mundo”, disse Jamie Dimon, presidente e CEO do JPMorgan Chase, em um comunicado.

Fundado em 2019 por ex-sócios do Banco BTG Pactual SA, o maior banco de investimentos independente da América Latina, o C6 tem 7 milhões de clientes, segundo comunicado.

As empresas não divulgaram o valor do negócio ou a avaliação implícita da C6 Bank. O banco digital foi avaliado em 11,3 bilhões de reais (US$ 2,28 bilhões) em dezembro, quando levantou 1,3 bilhão de reais.

A entrada do JPMorgan no banco de varejo brasileiro segue as saídas de alto nível de outros bancos globais.

HSBC Holdings PLC  e Citigroup venderam suas operações de varejo no país em 2015 e 2016, respectivamente, após lutarem para competir com gigantes como Banco Bradesco SA e Itau Unibanco Holding SA.

Desde então, o banco online permitiu que as instituições financeiras crescessem sem redes de agências onerosas, atraindo novos jogadores para o Brasil, como o SoftBank Group Corp’s, que recentemente investiu no fintech Banco Inter SA.

No início deste mês, a Berkshire Hathaway Inc de Warren Buffett investiu US$ 500 milhões no banco digital brasileiro Nubank em uma avaliação de US $ 30 bilhões. consulte Mais informação

Tanto o JPMorgan quanto o C6 destacaram as reformas regulatórias brasileiras, que fomentaram a concorrência e permitiram que os bancos digitais ganhassem participação de mercado.

Daniel Darahem, diretor nacional sênior do JPMorgan no Brasil, disse que o banco nomeará um número não revelado de diretores para o conselho do C6.

“A parceria com o JPMorgan Chase, líder global em serviços financeiros e um nome confiável em banco de varejo, é uma virada de jogo”, disse Marcelo Kalim, CEO e cofundador da C6.

A C6 registrou prejuízo líquido de 607 milhões de reais em 2020, encerrando o ano com 8 bilhões de reais em ativos. Kalim disse que o banco deve registrar prejuízo novamente este ano, dada a ênfase no crescimento, mas deve atingir 10 milhões de clientes antes do final do ano.

O banco usará os recursos para lançar duas novas linhas de crédito: financiamento de automóveis e home equity. O negócio também envolveu a venda de uma participação detida por acionistas minoritários.

Voltar ao Topo