Brasil

Jair Bolsonaro é submetido a cirurgia para remover cálculo da bexiga

Esta foi a quinta intervenção cirúrgica do presidente brasileiro, de 65 anos, nos últimos dois anos. Os outros quatro estavam relacionados com o esfaqueamento no abdômen que foi infligido a ele durante um comício eleitoral em setembro de 2018.

O presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, está ” estável ” e ” indolor ” após ser operado nesta sexta-feira em um hospital de São Paulo para retirar um cálculo de sua bexiga, informou o governo.

“ O procedimento foi realizado sem complicações, com duração de uma hora e meia e a pedra foi totalmente retirada ”, disse a equipe médica em nota divulgada pela presidência. O presidente de 65 anos está ” clinicamente estável, sem febre e sem dor ” , disse a nota.

Foi a quinta cirurgia do presidente nos últimos dois anos. Os outros quatro estavam relacionados ao ferimento de faca no abdômen que foi infligido a ele durante um comício eleitoral em setembro de 2018.

Bolsonaro entrou no Hospital Israelita Albert Einstein em São Paulo às 7h (10h GMT), onde foi submetido a um “ procedimento cirúrgico minimamente invasivo para remover um cálculo da bexiga ”, explicou o centro médico anteriormente.

O procedimento, denominado cistolitotripsia endoscópica, é realizado sob anestesia geral e consiste na fragmentação, por meio de tecnologia a laser, de um cálculo localizado no aparelho urinário, para sua extração pela uretra.

É uma operação considerada simples e, segundo a mídia brasileira, o presidente poderá retomar suas atividades na próxima semana.

A porta do hospital onde Bolsonaro foi operado nesta sexta-feira (REUTERS / Amanda Perobelli)A porta do hospital onde Bolsonaro foi operado nesta sexta-feira (REUTERS / Amanda Perobelli)

Bolsonaro já havia indicado no início do mês a um grupo de simpatizantes que deveria fazer uma cirurgia para retirar uma pedra “maior que um feijão”.

O chefe de Estado, um dos mais negadores do mundo sobre o perigo da pandemia do coronavírus, brincou nesta quinta-feira com o fato de que a “cúpula alta do poder” de Brasília usa máscara ou máscaras faciais e alguns de seus membros vão acabar infectados .

“Não vou dizer nomes, mas sim a alta cúpula do poder, em Brasília; alguns executivos do Judiciário, alguns; do Legislativo também … Eles usam máscara 24 horas por dia, até dormem com máscara, cumprimentam assim (ele gesticula com o cotovelo e ri), e pegaram o vírus agora ”, disse Bolsonaro em transmissão pelas redes sociais.

“ É inútil, já disse há muito tempo ”, completou o chefe de Estado, que reiterou que “ ficar em casa ” para evitar a propagação da COVID-19 “ não resolve nada ”.

O presidente fez alusão ao surto de casos de coronavírus que surgiram após a cerimônia em que o juiz Luiz Fux assumiu a presidência do Supremo Tribunal Federal há duas semanas e que foi realizada sob medidas de distanciamento social.

Voltar ao Topo