Bancos

Itaú demite 270 funcionários em unidades de varejo, diz sindicato

O maior credor do Brasil, o Itaú Unibanco Holding SA, demitiu pelo menos 270 funcionários desde o início de setembro, de acordo com um líder sindical de bancários na quinta-feira (18).

As dispensas chegaram a 130 cargos na unidade de financiamento de veículos e também atingiram trabalhadores localizados em agências bancárias, acrescentou o sindicato.

O Itaú, que encerrou junho com cerca de 95 mil funcionários, prometeu não cortar nenhum emprego por um período não especificado durante a pandemia do coronavírus.

“Os bancos se comprometeram a não demitir funcionários durante a pandemia e agora estão quebrando sua promessa”, disse Juvandia Moreira, chefe do sindicato nacional dos bancários Contraf.

Em comunicado, o Itaú disse que retomou em setembro as contratações e as dispensas, ambas interrompidas desde que a pandemia atingiu o Brasil em março. O banco não divulgou nenhum número.

Enquanto os bancos em todo o mundo apertam os cintos, preparando-se para a recessão e perdas de empréstimos decorrentes do surto do vírus, analistas disseram que os credores vão considerar as demissões como medida.

O Itaú está considerando devolver alguns prédios alugados e reduzir ainda mais sua rede de agências, uma vez que busca uma redução nominal nas despesas operacionais neste ano e no próximo, disse o diretor financeiro Milton Maluhy em agosto.

Além do Itaú, o Banco Santander Brasil SA também dispensou cerca de 1.000 trabalhadores desde junho, segundo o sindicato.

Voltar ao Topo