Mercados

Investidores “sem noção” continuam aumentando este mercado de ações

Às vezes o mercado se recupera e faz todo o sentido. Depois, há dias como hoje, em que não consigo entender o quão estupidamente otimista esse mercado pode ser.

Este é o apresentador de “Mad Money” da CNBC, Jim Cramer, balançando a cabeça para investidores ‘sem noção’, que ignoraram vários sinais de alerta para comprar ações durante a alta ação comercial de terça-feira.

“Nunca subestime o poder dos compradores entusiasmados que não sabem o que estão fazendo”, disse ele após o Dow Jones Industrial Average DJIA, 1,23% terminou a sessão com um ganho de três dígitos. O S&P 500 SPX, 0,66% e Nasdaq Composite COMP, 0,52% também terminou em alta.

Ele apontou especificamente para a BP BP, 0,76% e empresa de biofarma Sorrento SRNE, 6,62% como exemplos. Há “muita estupidez”, disse ele, “especialmente durante a temporada de ganhos, quando há tantas notícias que é difícil acompanhar o que está acontecendo”.

O aumento da BP, em particular, não se encaixou bem com Cramer, que disse que pode ser a “ação mais idiota” até agora este ano. “Eles não apenas estão dizendo que os negócios são terríveis, mas a BP está tentando se distanciar do petróleo e preservando dinheiro, mas talvez esse aumento de dividendos tenha sido um erro”, disse ele.

No caso de Sorrento, Cramer apontou as ações mal recuperadas na semana passada, quando a empresa anunciou um novo teste Covid-19 baseado em saliva que produz resultados em meia hora. Mas então, na terça-feira, as ações subiram pelo mesmo motivo. “O mercado de ações deveria ser eficiente”, disse ele, “mas de alguma forma levou Wall Street seis dias para processar essas notícias”.

Quanto à sessão de quarta-feira, mais estupidez? A Dow subiu mais de 300 pontos, na última verificação, enquanto a S&P e a Nasdaq também estavam adicionando ganhos recentes.

“Algum desses movimentos é culpa do Fed?” Cramer escreveu em uma tomada separada . “Não, a culpa, como diz Cassius, não está em nossas estrelas como Trump ou Powell, mas nos próprios compradores.”

Voltar ao Topo