Benefícios

INSS: Servidores ameaçam não voltar ao home office, e agências seguem fechadas

O retorno das atividades  presenciais do INSS tornou-se o motivo da greve nacional,  ao término do cronograma de suspensão dos serviços das agências, funcionários da Associação Nacional do Seguro Social e da Federação Nacional das Agências da Previdência Social (Fenasps) ordenaram conjuntamente uma greve nacional, a decisão foi tomada na última sexta-feira (04) e deve ser aplicada imediatamente.

De acordo com o cronograma oficial do INSS, as atividades presenciais devem ser retomadas no dia 14 de setembro, porém, como ainda não existe vacina contra o novo coronavírus e o risco de contaminação ainda é alto, a equipe do instituto participou de uma greve de saúde para defender vidas.

A suspensão será implementada a partir desta terça-feira (08), e deve prosseguir até que o órgão competente do órgão informe se atenderá às recomendações da Fenasps, os delegados exigiram que o trabalho do Ministério do Interior seja mantido até que a epidemia seja controlada em todo o país.

Além disso, o servidor foi instruído a realizar uma série de reclamações e inspeções internas, no caso de assédio ético, o patrão obriga os empregados a voltarem pessoalmente aos locais de risco de infecção, sendo recomendável reclamar diretamente ao público e ao Ministério do Trabalho.

Além disso, se a unidade carece de inspeção e segurança sanitária, o provedor também deve entrar em contato com o departamento que solicitou a inspeção, os representantes irão monitorar realidades como a falta de equipamentos de segurança pessoal (EPI).

De acordo com as instruções da Fenasps, a suspensão ficará reservada por um período limitado de tempo, o servidor só deve autorizar a retomada das atividades presencialmente ou na home office após portaria da administração do INSS, que autoriza a não realização de trabalho remoto.

Um relatório da Fenasps disse: “Enquanto a pandemia continuar, o trabalho remoto será mantido.”

Também foi enfatizado que, para os funcionários que moram com alguém em situação de risco, é necessário fazer um acordo de autodeclaração para permanecer no escritório doméstico.

Voltar ao Topo