Benefícios

INSS: Instituto não tem servidores suficientes para reabrir as agências

À medida que o número de servidores ativos diminui ano a ano, o INSS enfrenta dificuldades para reabrir agências durante a pandemia.

O gerente executivo do INSS, Caio Figueiredo, disse que no Rio de Janeiro cerca de 70% dos funcionários do órgão estão em situação de risco, entre idosos, comorbidades e funcionários em idade escolar.

“Entendemos que falta atendimento presencial, essa é uma questão cultural, determinada principalmente pela faixa etária atendida, mas reabrimos parcialmente o dispositivo porque não tínhamos servidores suficientes e esses servidores não foram comprometidos”, disse o Gerente Executivo do INSS.

Dos 97 órgãos de previdência do estado, 41 ainda não contam com atendimento presencial.

Adriane Bramante, Presidente do Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário (IBDP), disse que o estado atual da seguridade e dos serviços sociais é caótico, mas previsível, e isso pode ser evitado.

“A falta de servidores é um problema de previdência de longa data, mas na pandemia, essa situação é mais grave, o que já é esperado, a situação era caótica, as pessoas ficavam horas esperando para serem atendidas no 135, quando não puderam chegar, foram ao agente, mas não compareceram sem um agendamento”, disse ela.

O INSS possui atualmente 20.893 funcionários em todo o território nacional, dos quais 7.249 estão analisando benefícios e 5.959 atendendo a segurados.

Para a Federação Nacional dos Trabalhadores na Saúde, Trabalho, Previdência e Assistência Social (Fenasps), é necessária a contratação de mais 21 mil novos funcionários para atender às necessidades do INSS.

” São 23 milhões de brasileiros sem acesso à internet, e muitas pessoas com analfabetismo digital, idosos que não têm esse traquejo com a digitalização, e não existe servidor algum nas agências para ajudar e explicar para essas pessoas como funciona, quando conseguem agendar, esses segurados são atendidos, mas precariamente, porque não tem servidor”, Afirma Adriane Bramante.

A agência informou em comunicado que está realizando pesquisas e estima que até maio de 2021 concluirá a definição e o planejamento da escala de recursos humanos de médio e longo prazo.

De acordo com o INSS, isso permitirá a realização de concursos a partir de 2022, quando os contratos dos servidores aposentados e dos civis temporários selecionados neste ano serão encerrados por meio de processo seletivo simplificado.

Voltar ao Topo