Economia

Inflação de preços no atacado atinge alta recorde mensal de 3,4% em outubro

A inflação dos preços aos produtores de atacado no Brasil atingiu o maior nível histórico em outubro, mostrou um relatório do IBGE nesta quinta-feira (26), liderado por mais um mês de alta nos alimentos, provavelmente para agitar ainda mais o debate sobre o panorama geral da inflação e das taxas de juros.

Os preços no atacado nas portas das fábricas cresceram 3,4% em outubro na comparação com o mês anterior, segundo a agência de estatísticas do IBGE, a maior desde a série iniciada em janeiro de 2014.

Com a medida, a inflação dos preços ao produtor no Brasil subiu para 17,3% nos primeiros 10 meses do ano e 19,1% nos 12 meses até outubro, segundo o IBGE.

O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, disse hoje que está “relativamente calmo” com a inflação, mas vigilante. “O horizonte do banco central é sempre mais longo. É assim que conduzimos a política monetária”, disse.

Um total de 23 das 24 atividades relacionadas à mineração e manufatura pesquisadas apresentou aumento de preços, informou o IBGE, em comparação a 21 em setembro.

O preço dos alimentos, que mais pesa no índice, subiu 4,6% no mês e foi responsável por 1,2 ponto percentual, ou cerca de um terço, do aumento, segundo o IBGE.

No acumulado do ano, o preço dos alimentos subiu 28,4% e, em relação a outubro do ano passado, está 35,9% maior.

Os custos com a mineração cresceram 9,7% no mês, o equivalente a 0,53 ponto percentual do aumento total, informou o IBGE.

Voltar ao Topo