Notícias

Indústria de máquinas espera maior investimento este ano

industrial

A indústria de máquinas e equipamentos deve aumentar os investimentos no Brasil este ano, com injeções estimadas em R$ 15,45 bilhões. José Velloso, presidente da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), disse que os recursos são necessários para sustentar o crescimento da receita em 2022, estimada em 6%.

“No ano passado, investimos R$ 14,52 bilhões, valor 68% superior ao que esperávamos. Nenhum setor no Brasil investiu e investe tanto quanto máquinas e equipamentos”, disse Velloso.

A maior parte dos recursos – 38,2% – será destinada à modernização tecnológica para aumentar a produtividade nas fábricas, segundo Velloso. “Mesmo com o crescimento do mercado, é improvável que as empresas priorizem o aumento da capacidade. Eles buscam mais eficiência”, disse.

Segundo estimativas da Abimaq, a receita líquida total da indústria crescerá 6% neste ano. Em 2021, o indicador atingiu R$ 222,44 bilhões, alta de 21,6% na comparação anual. Segundo a entidade, o consumo aparente atingiu R$ 308,91 bilhões, 14,8% superior a 2020. A receita líquida interna, segundo a Abimaq, cresceu 25,3%, atingindo R$ 168,08 bilhões.

“Foi o melhor ano para o setor de todos os tempos no país. E estimamos que até 2022 cresceremos ainda mais, em uma base de comparação muito alta. E temos vários fatores que podem sustentar essa evolução, principalmente setores como infraestrutura e construção”, disse Velloso. “A produção deve crescer 4,5% e as exportações 15,6%. Estamos muito otimistas para este ano”.

No ano passado, as fabricantes de máquinas fecharam com uma carteira de pedidos de 10,8 semanas, alta de 21,3%. Segundo a Abimaq, com esse desempenho do mercado brasileiro, o nível de utilização da capacidade instalada foi de 79,2%.

O comércio internacional também teve bom desempenho em 2021. As exportações cresceram 34,2% em 2021, para US$ 9,37 bilhões, e as importações atingiram US$ 21,16 bilhões em 2021, um aumento de 23,4%.

O nível de emprego também acompanhou o momento positivo do setor. As fabricantes fecharam o ano com uma folha de pagamento de 367,5 mil pessoas, 42 mil empregos a mais do que em 2020. “Nossa expectativa é de um aumento de 5% no número de empregos este ano”, disse.

Voltar ao Topo