Economia

Importações brasileiras de soja em agosto na China aumentam 22% em relação ao ano anterior

As importações de soja do Brasil em agosto da China aumentaram 22% em relação ao ano anterior, dados alfandegários mostraram na sexta-feira (25), com os compradores aumentando suas compras para aproveitar as margens mais altas no início deste ano.

A China, maior comprador mundial de soja, trouxe 8,15 milhões de toneladas da oleaginosa do Brasil em agosto, ante 6,68 milhões de toneladas no ano passado, mostraram dados da Administração Geral das Alfândegas.

Os britadores aumentaram as compras do país sul-americano para atender à forte demanda por ração da indústria suína em recuperação.

As importações caíram de 8,18 milhões de toneladas em julho.

A China importou 9,6 milhões de toneladas de soja em todo o mês de agosto.

“Os compradores reservaram muitos carregamentos brasileiros mais cedo, quando as margens de esmagamento eram boas”, disse um gerente de uma britadeira no sul da China antes de os dados serem divulgados.

“Agora as margens de esmagamento caíram devido ao custo mais alto (do feijão)”, disse o gerente, que não quis ser identificado por não ter autorização para falar com a mídia.

As chegadas de soja nos próximos meses devem permanecer altas, porém, com mais cargas vindo dos Estados Unidos enquanto os embarques brasileiros diminuem, de acordo com analistas e traders.

A China trouxe 166.370 toneladas de soja dos EUA em agosto, uma queda de 90% em relação aos 1,68 milhões de toneladas do ano passado e um aumento em relação às 38.333 toneladas em julho.

Os estoques nacionais de soja CFD-SBSTK-NATN subiram para 7,934 milhões de toneladas na semana de 13 de setembro, o maior desde a semana de 30 de outubro de 2018, e mais do que o dobro do recorde de baixa em março, de acordo com dados do Cofeed.

Os estoques nacionais de farelo de soja da China CFD-SBMST-NATN subiram para 1,27 milhão de toneladas na semana de 30 de agosto, o segundo maior já registrado, antes de cair este mês.

Voltar ao Topo