Novidades

Grupos de comércio de etanol e grãos dos EUA atacam novos movimentos tarifários brasileiros

Em Washington, a Growth Energy, o US Grains Council e a Renewable Fuels Association expressaram desapontamento com a notícia de que o governo brasileiro alterou a recente regra de 31 de agosto que elevava a quota sobre as importações de etanol dos EUA sob a cotação de tarifa (TRQ) de 600 milhões litros por ano para quase 750 milhões de litros por ano. O TRQ regula o limiar de etanol que pode ser importado para o Brasil sem disparar uma tarifa de 20%.

Os grupos escreveram:

Por mais de 15 anos, os líderes da indústria brasileira de etanol pressionaram o governo dos EUA a reduzir o imposto sobre o etanol importado, dizendo:

  • ‘[Acreditamos que o livre comércio é uma via de mão dupla e o Brasil … dará o exemplo e eliminará barreiras a combustíveis renováveis ​​e limpos.’
  • ‘[Estamos] pedindo ao governo brasileiro que torne permanente a eliminação de tarifas se o Congresso dos EUA fizer o mesmo e reduzir o imposto sobre o etanol importado.’
  • “É hora de esses dois países mostrarem liderança e trabalharem juntos para desenvolver um mercado verdadeiramente livre de etanol, sem barreiras comerciais, como é o caso do petróleo”.
  • ‘Os consumidores vencem quando as indústrias competem. Os produtores brasileiros de etanol estão dispostos a competir pelos consumidores. E os produtores americanos?

“Os EUA pegaram a estrada e eliminaram sua tarifa de etanol. A decisão do Brasil de impor restrições sazonais à sua cota tarifária para o etanol americano é decepcionante e coloca obstáculos adicionais ao livre comércio, prejudicando os consumidores e nossos respectivos setores de etanol. ”

Voltar ao Topo