Petróleo

Governo Biden apoia projeto de perfuração de petróleo do Alasca aprovado sob Trump

O governo do presidente dos EUA Joe Biden defendeu na quarta-feira uma proposta de ConocoPhillips (COP. N) desenvolvimento de petróleo no Alasca, apoiando o projeto de perfuração que foi aprovado sob a administração do ex-presidente Donald Trump.

“Uma apresentação de quarta-feira do Departamento de Justiça dos EUA continua a defender um Registro de Decisão para o Projeto Willow em 2020 na Reserva Nacional de Petróleo – Alasca (NPR-A)”, disse um porta-voz do Departamento do Interior dos EUA em um e-mail.

Em fevereiro, um tribunal de apelações bloqueou a construção do projeto de petróleo bruto Willow, de US$ 2 bilhões, no Alasca. O desenvolvimento de quarta-feira vem mesmo quando o secretário do Interior, Deb Haaland, se opôs ao projeto no ano passado, quando ela era membro do Congresso.

O governo Trump aprovou o plano de desenvolvimento willow em outubro. As licenças para minerar cascalho e construir estradas foram emitidas na manhã de 20 de janeiro, pouco antes de Biden ser empossado como o 46º presidente do país.

Grupos ambientais haviam processado, argumentando que o governo não levou em conta o impacto que a perfuração teria sobre a frágil vida selvagem.

“O arquivamento (na quarta-feira) sustenta que a decisão cumpriu as normas da NEPA (Lei Nacional de Política Ambiental) em vigor na época, e que os autores não contestaram o Registro de Decisão dentro das limitações de tempo associadas à revisão ambiental para projetos na NPR-A”, segundo o comunicado compartilhado por um porta-voz do Departamento do Interior.

O projeto foi empurrado pela senadora do Alasca Lisa Murkowski, uma republicana, que junto com outro senador republicano, Dan Sullivan, discutiu o projeto do petróleo durante uma reunião com Biden na segunda-feira, de acordo com o Politico.

Murkowski disse que o envolvimento com os funcionários do governo Biden desde aquela reunião foi “muito produtivo”.

Willow detém 590 milhões de barris de petróleo recuperável e poderia produzir até 160.000 barris por dia já em 2024, de acordo com as estimativas anteriores da ConocoPhillips.

Voltar ao Topo