Energia

GE, Siemens Gamesa e WEG lideram instalação de turbinas eólicas no Brasil em 2019

A GE Renewable Energy norte-americana liderou a instalação de novas turbinas eólicas no Brasil em 2019, seguida pela Siemens-Gamesa e pela fabricante local WEG (WEGE3), de acordo com um relatório da consultoria Wood Mackenzie divulgado nesta segunda-feira.

Enquanto a GE Renewable Energy manteve sua posição de líder em energia eólica no Brasil, vendo a participação de mercado atingir 55,8%, contra 30,9% em 2018, as Vestas dinamarquesas caíram da segunda posição para a quinta posição, com apenas 2,8% da energia eólica turbinas instaladas no país em 2019, contra 19,1% no ano anterior.

A WEG (Enercon), por outro lado, viu sua participação no mercado brasileiro de equipamentos eólicos crescer para 16,6%, contra 12,7% no ano anterior, enquanto a Siemens Gamesa passou de 12,5% para 17,4% das máquinas montadas no ano. .

Em 2018, a WEG e a Siemens Gamesa ficaram em quarto e quinto no ranking brasileiro, respectivamente.

Os números, no entanto, ainda não levam em consideração as vendas de novas e mais poderosas linhas de equipamentos lançadas pela maioria dos fabricantes no Brasil em 2018 e 2019, disse Wood Mackenzie.

“A última geração de tecnologias de turbinas eólicas capturou uma parcela maior de novos pedidos fechados no Brasil, enquanto os dados das instalações em 2019 são baseados em tecnologias da geração anterior. A instalação (de equipamentos) da última geração tecnológica começará a acontecer a partir de 2020/21 ”, afirmou o analista Shashi Barla, autor do relatório.

O atraso deve-se ao atraso entre a negociação e o fechamento dos contratos e a efetiva implementação dos parques eólicos. 

Além dos três primeiros lugares, destacam-se o grupo alemão Nordex (Acciona) na quarta posição, com 4,9% das máquinas, e o alemão Enercon, na lanterna, sem participação significativa no ano passado (0%). a lista de Wood Mackenzie.

Em 2018, a Enercon era vice-líder de mercado no Brasil, com 17% das turbinas eólicas instaladas, contra 7,8% da Nordex, que estava naquele ano com a última posição.

As mudanças no ranking dos fabricantes ocorreram em meio a uma desaceleração no ritmo de construção de parques eólicos no Brasil – o país instalou um total de 1,1 gigawatt em novas turbinas eólicas da fonte no ano passado, abaixo dos 1,8 gigawatt registrado em 2018, segundo Mackenzie de madeira.

“A América Latina, excluindo o Brasil, passou de 1,5 gigawatt de capacidade eólica conectada à rede em 2018 para 3,6 gigawatts em 2019. Em seguida, a capacidade na América Latina cresceu, enquanto se retirava no Brasil”, disse Barla à Reuters em nota. 

No mercado global, as instalações de turbinas eólicas em 2019 foram dominadas pelas dinamarquesas Vestas, que mantiveram a liderança já vista em 2018. 

A Siemens Gamesa e a GE avançaram uma posição cada, para o segundo e o terceiro lugares no ranking, em meio a um recuo do Goldwind chinês, que em 2018 foi o líder na quarta posição em 2018.

Vestas tinha mais de 50% de suas instalações nas Américas, com ênfase nos mercados norte-americano, mexicano e argentino.

A Siemens Gamesa avançou principalmente no mercado de energia eólica offshore do Reino Unido e com parques eólicos em terra nos EUA e na Espanha, enquanto a GE conectou projetos em 24 países, incluindo estreias na Grécia, Omã e Chile, entre outros, segundo Wood Mackenzie. 

Voltar ao Topo