Notícias

Funcionário brasileiro: projetos de mineração são ‘prioridades nacionais’

Enquanto o mundo continua a reagir à eleição do presidente populista brasileiro Jair Bolsonaro, alguns funcionários do governo não esperam que isso tenha muito impacto no plano nacional de desenvolver seu recurso nacional.

Em entrevista exclusiva à Kitco News antes do segundo turno de outubro, Pedro Bruno Barros De Souza, secretário de coordenação de políticas públicas, disse que o Programa de Parcerias de Investimento (IPP) do governo é maior do que qualquer líder político. Ele acrescentou que o governo, não importa quem esteja no comando, está comprometido em desenvolver responsavelmente os recursos naturais do país.

“O Brasil tem muito potencial mineral e há muitas oportunidades para investidores e empresas que querem trabalhar com o governo para desenvolver esses recursos”, disse ele. “O governo brasileiro tem trabalhado diligentemente em sua governança para criar uma estrutura legal e regulatória estável, para que os investidores encontrem um ambiente de negócios positivo.”

Embora o Brasil seja o maior produtor de ferro e níquel do mundo, a Vale, e o terceiro maior produtor de minério de ferro do mundo, Barros De Souza disse que mais trabalho precisa ser feito para garantir que o setor continue a crescer e amadurecer.

O IPP do Brasil foi lançado pela primeira vez em 2016 para ajudar o país a sair de sua mais prolongada recessão na história do país. Barros De Souza disse que o programa deve trazer US $ 90 bilhões em investimentos em infraestrutura para o país dentro de 25 anos. Atualmente, o governo possui 191 projetos no portfólio do IPP.

Como parte do portfólio do IPP, o governo, em colaboração com o Serviço Geológico do Brasil, identificou várias regiões para o desenvolvimento de mineração.

“Por lei, os projetos que pertencem ao portfólio são prioridades nacionais. Trabalhar com empresas de mineração para desenvolver essas regiões é uma prioridade nacional para o governo ”, disse ele. “A pesquisa geológica coletou muitas informações sobre essas regiões e agora é hora de avançar para a próxima etapa e encontrar empresas que queiram explorar ainda mais a região.”

Bruno Eustáquio Ferreira Castro De Carvalho, diretor de programa do IPP, disse que o objetivo do programa é identificar novas regiões a cada ano e depois leiloar os direitos de exploração para as empresas. Ele acrescentou que, até agora, o governo está satisfeito com as empresas que manifestaram interesse em desenvolver as regiões identificadas.

“Conhecemos o potencial dentro de nossos países e sabemos que podemos atrair as melhores empresas para trabalhar conosco”, disse ele.

Castro De Carvalho acrescentou que com este programa, as empresas de mineração se beneficiarão de ter aliados dentro do governo brasileiro que poderão ajudá-los a navegar no quadro regulatório relativamente novo do país.

Embora alguns investidores estrangeiros possam relutar em colocar seu dinheiro no Brasil, Barros De Souza disse que as autoridades esperam que o compromisso do governo com a transparência e o estado de direito amenizem algumas dessas preocupações.

“Aprendemos muito com a nossa história e acreditamos que criamos uma estrutura regulatória forte na qual os investidores podem confiar”, disse ele.(Fonte).

Voltar ao Topo