Petróleo

ExxonMobil mira venda de participação em campo petrolífero do Iraque

A supermajor dos EUA ExxonMobil poderia vender sua participação no gigante campo petrolífero west qurna 1 do Iraque, pois planeja reduzir a dívida e aumentar o fluxo de caixa em um mercado que tem sido abalado por uma pandemia global e baixa demanda de petróleo bruto.

O Ministério do Petróleo do Iraque disse na quinta-feira que está em discussões com companhias petrolíferas sediadas nos EUA para uma possível compra das ações da ExxonMobil no Qurna Ocidental 1.

No entanto, não identificou quais empresas podem estar interessadas em comprar a participação, e não foram fornecidos mais detalhes.

A ExxonMobil tem uma participação de 32,7% no Qurna Ocidental 1, no sul do Iraque, perto da cidade de Basra, com a participação provavelmente avaliada em cerca de US$ 500 milhões, informou a Bloomberg.

As outras partes interessadas importantes no Qurna 1 Ocidental incluem a PetroChina com 32,7%, a japonesa Itochu com 19,6% e a Pertamina da Indonésia em 10%.

A ExxonMobil registrou uma perda de US$ 22,4 bilhões no ano passado, significativamente superior à perda de US$ 14,3 bilhões de 2019.

A enorme perda deveu-se principalmente aos prejuízos em seus ativos de gás natural nos EUA, Canadá e Argentina no ano passado.

Acredita-se que as vendas de ativos sejam uma parte fundamental da estratégia da ExxonMobil para reduzir sua dívida crescente, bem como manter seu dividendo de US$ 15 bilhões por ano.

A estratégia global da ExxonMobil até 2025 é aumentar os lucros e o fluxo de caixa para sustentar e aumentar seus dividendos, reduzir a dívida e financiar projetos vantajosos enquanto trabalha para comercializar tecnologias de menor emissão em apoio às metas do Acordo de Paris.

West Qurna 1 é considerado um dos maiores campos petrolíferos do mundo, com reservas de recuperação esperadas totalizando mais de 20 bilhões de barris.

No entanto, o campo requer investimentos significativos que incluem um grande projeto de injeção de água, que foi atingido por vários atrasos, informou a Bloomberg.

A ExxonMobil no início deste ano saiu de um bloco de exploração chave na região do Curdistão do Iraque que já operou depois de fechar um acordo com a DNO independente listada em Oslo.

A gigante dos EUA concordou em vender sua participação restante de 32% no bloco baeshiqa para o DNO da Noruega por uma quantia não revelada.

Voltar ao Topo