Offshore

ExxonMobil concedeu extensão para blocos offshore na E. Guiné

O ministério de petróleo e gás da Guiné Equatorial deu à ExxonMobil mais tempo para “verificar a total comercialidade” de dois blocos offshore EG06 e EG-11.

O Ministério de Minas e Hidrocarbonetos da Guiné Equatorial concedeu à ExxonMobil uma extensão de seis meses para os blocos offshore.

De acordo com a African Energy Chamber, os dois blocos estão localizados ao lado do Bloco B produtor de petróleo herdado, as licenças são consideradas áreas altamente prospectivas. A ExxonMobil descobriu petróleo no poço Bloco EG-06 Avestruz-1 em outubro de 2017 e avalia sua comercialidade desde então, lembrou a Câmara.

O Avestruz-1 está localizado a aproximadamente 160 quilômetros da costa de Malabo, em uma área de exploração adjacente ao campo de Zafiro da ExxonMobil, um prolífico campo petrolífero legado na área marítima do norte da Guiné Equatorial, em profundidades de água entre 400 e 2.800 pés, que produziu mais de 1 bilhão de barris em seus mais de 20 anos de produção.

A ExxonMobil assinou seu contrato de compartilhamento de produção para o Bloco EG-06 em 2015, seguido pela entrada no Bloco EG-11 nas proximidades em 2017.

“O potencial de recursos nesses dois blocos é enorme e queremos dar ao operador tempo suficiente para verificar a total comercialidade desses reservatórios”, disse o ministro de Minas e Hidrocarbonetos da Guiné Equatorial Gabriel Mbaga Obiang Lima.

A Exxon opera o campo de Zafiro com 71,25% de participação. A ExxonMobil Exploração e Produção Guiné Equatorial (Offshore) Ltd. detém uma participação de 80% no bloco EG-06, que é adjacente ao bloco EG-11.

Voltar ao Topo