Economia

Exportações de calçados do Brasil caem, mas dão sinais de melhora

As exportações brasileiras de calçados em janeiro alcançaram 9,73 milhões de pares, queda de 22,2%, para US $ 60,93 milhões, queda de 33,2% em relação ao ano anterior.

Apesar da queda anual, as exportações de calçados em janeiro mostram sinais de melhora em relação a abril passado. As exportações cresceram 5% em volume e 2,1% em faturamento a partir de dezembro de 2020, informou a Associação Brasileira da Indústria de Calçados (Abicalçados).

A queda ano a ano é explicada pelo fato de que janeiro de 2020 ainda não havia sofrido o impacto da nova pandemia de coronavírus, disse o CEO da Abicalçados, Haroldo Ferreira. “A base de comparação é muito alta para os padrões que adotamos depois que a pandemia começou em março. Assim, os próximos dois meses provavelmente também apresentarão quedas ano a ano ”, disse ele em um comunicado à imprensa.

Por outro lado, o executivo espera que as exportações continuem crescendo no primeiro trimestre, encerrando 2021 com um aumento de 14,9% em relação ao ano passado. “É um avivamento contínuo”, disse ele.

Os principais destinos dos calçados brasileiros em janeiro foram Estados Unidos, França e Argentina. Nenhum país árabe ficou entre os 20 maiores compradores.

Assim como as exportações, as importações em janeiro atingiram o maior nível desde abril passado, apesar de terem caído tanto em volume (-28%) quanto em receita (-47%) ano a ano. A partir de dezembro de 2020, eles subiram 43,8% para 1,98 milhão de pares por US $ 21,8 milhões. “Há uma tendência de alta nas importações de calçados, principalmente da Ásia, à medida que o mercado interno brasileiro se recupera”, disse Ferreira.

Voltar ao Topo