Empregos

Exportações brasileiras de soja podem subir em meio à escalada

As exportações brasileiras de soja poderiam aumentar às custas dos grãos originados nos Estados Unidos, em meio à recente escalada da disputa comercial EUA-China, fraca moeda brasileira e aproximando-se da colheita de milho, a exportadora de grãos AgriBrasil.

As últimas semanas têm sido bastante ativas para a soja brasileira, já que a China pode ter comprado 20-40 cargas de soja para ser carregada prontamente devido ao fracasso das negociações comerciais EUA-China, disse a AgriBrasil.

As exportações brasileiras de soja no período de janeiro a abril são de 26,3 milhões de toneladas, um aumento de 12% em relação ao mesmo período do ano passado, de acordo com um relatório divulgado pelo Ministério da Economia do Brasil.

O Brasil é o maior exportador de soja do mundo, com exportações totais de 83,61 milhões de toneladas em 2017-18, de acordo com um recente relatório da Conab. A China comprou 20,25 milhões de toneladas do Brasil durante o período de quatro meses, uma queda de 13% no ano, segundo os dados.

Em abril, o Brasil exportou 10 milhões de toneladas de soja, alta de 16,2% no mês, de acordo com as Portarias da Secretaria de Comércio Exterior – SECEX. A China adquiriu 7,12 milhões de toneladas em abril, respondendo por 70,7% do total de grãos brasileiros exportados no mês.

DISPUTA DE COMÉRCIO US-CHINA

Devido à recente escalada das disputas comerciais EUA-China, as estimativas brasileiras de exportação de soja podem aumentar ainda mais, à medida que os chineses começarem a comprar mais soja do Brasil, disseram fontes.

Em julho passado, a China aplicou uma tarifa de importação adicional de 25% sobre a soja dos EUA em resposta às tarifas que os EUA aplicaram aos produtos chineses. Como resultado, as exportações de soja dos EUA para a China de setembro a março caíram 80% ano a ano, com os compradores chineses buscando o Brasil.

Em 5 de maio, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ameaçou intensificar a tensão comercial com novas tarifas sobre os produtos chineses, em meio a um lento progresso nas negociações comerciais.

Os EUA são o maior produtor de soja e o segundo maior exportador de feijão, enquanto a China é o maior importador de soja, respondendo por quase 60% das compras globais de grãos.

FRACO REAL BRASILEIRO

O enfraquecimento do real também ajudou o exportador brasileiro de soja a obter prêmios portuários.

Em relação ao dólar americano, o real chegou ao Real 4,10 a partir do Real 3,90, devido à instabilidade política, disse a AgriBrasil.

Um real brasileiro mais fraco significa que os agricultores obtêm mais dinheiro exportando seus produtos, que são comercializados globalmente em dólares.

Os preços da soja começaram a subir acentuadamente no mercado brasileiro nesta semana, refletindo os aumentos nos prêmios de exportação de soja e subprodutos, a valorização do dólar americano e os aumentos de preços internacionais, disse o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada à Platts.

Esse cenário levou os vendedores ao mercado doméstico, aumentando a liquidez, principalmente para as exportações – que foram limitadas pela falta de cotas nos portos, disse a Cepa.

Na quarta-feira, a Platts avaliou a soja FOB Santos (julho) em US $ 348,53 / mt e FOB Paranaguá (julho) em US $ 348,53 / mt, enquanto a soja FOB New Orleans (julho) foi avaliada em US $ 319,85 / mt.

APROXIMANDO A COLHEITA DE MILHO

A liberação de estoque pelos produtores de soja também contribuiu para o aumento das vendas nas últimas semanas.

Os agricultores estão vendendo rapidamente seus antigos estoques de soja, já que esperam uma safra de milho muito alta, disse a AgriBrasil. 

Voltar ao Topo