Notícias

Estaleiro na Paraíba deve gerar cerca de 6 mil empregos diretos e indiretos

O Litoral Norte é uma das regiões da Paraíba que tem demonstrado um forte potencial econômico e industrial nos últimos anos.  Essas potencialidades foram apresentadas pelo Governo do Estado da Paraíba no Expo-Fórum de Investimentos e Negócios, em Portugal, nos dias 25 e 26 de novembro.

Durante o evento, o secretário de Infraestrutura, Recursos Hídricos, Meio Ambiente, Ciência e Tecnologia, João Azevedo, destacou os investimentos feitos em infraestrutura na região, o que torna o local atrativo para investidores nacionais e internacionais.

Um exemplo é o grupo americano Mckilling Services Company que irá instalar um estaleiro de reparos em Lucena. Recentemente os empresários reuniram-se com o Governador do Estado.  Durante o encontro, foi anunciado pelos empresários a liberação ambiental, concedida pela Sudema, o primeiro passo para implementação do estaleiro.

A obra representa um investimento de R$ 2 bilhões e a geração de 1.500 empregos diretos. A necessidade de criação de parcerias com outras empresas do ramo de navegação deve gerar 4.500 empregos indiretos. Este será o primeiro estaleiro deste porte no Atlântico Sul. A construção do estaleiro está previsto para o final de 2016 e a expectativa é que o funcionamento comece em 2018.

“É um importante projeto para o desenvolvimento do turismo, do setor imobiliário e que vai gerar muitas oportunidades de emprego e renda nos municípios da região”, comenta Selmo Lima, presidente da Associação de Amigos do Litoral Norte.

A ponte que liga Cabedelo e Lucena também está entre as obras que tem como objetivo beneficiar a região. Além de facilitar o acesso para as cidades beneficiadas, o projeto representa um grande avanço também para o turismo e setor imobiliário e, consequentemente, fortalecer a economia local e gerar empregos.

 

Para saber de outras oportunidades na mesma área clique neste link – Vaga na área de Offshore. Siga também o Site O Petróleo no Facebook e fique por dentro das novas vagas, e participe do grupo O Petróleo.

Voltar ao Topo