Energia

Equinor e Iberdrola planejam avanços eólicos offshore no Brasil

Os principais desenvolvedores de energia eólica offshore começaram a apresentar planos para vários gigawatts de novos projetos eólicos offshore no Brasil.

Um porta-voz da Equinor da Noruega disse à reNEWS que solicitou à agência ambiental federal do Brasil, IBAMA, permissão para realizar uma avaliação de impacto ambiental que irá “examinar a possibilidade de desenvolver um projeto eólico offshore” nas águas do país.

O desenvolvedor não deu detalhes de seus planos, mas a mídia local informou que o desenvolvedor está tendo um desenvolvimento de até 4,66 GW dividido em dois campos de 2,33 GW denominados Aracatu 1 e Aracatu 2.

Os projetos estão localizados nos estados vizinhos do Rio de Janeiro e Espírito Santo, no sudeste do país.

Reportagens da imprensa afirmam que os parques serão instalados a 20 km da costa em águas entre 15 e 35 metros de profundidade e que cada um dos campos de Aracatu terá capacidade para 160 turbinas.

A subsidiária brasileira da Iberdrola, Neoenergia, entretanto, disse à reNEWS que tem três projetos em fase de licenciamento.

Um porta-voz disse que a empresa participa ativamente “das discussões para definir a melhor regulamentação a ser adotada para o desenvolvimento da energia eólica offshore” no Brasil.

A mídia local noticiou que os empreendimentos da Neoenergia totalizam cerca de 9 GW e estão divididos entre as águas dos estados do Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro e Ceará

Os relatórios dizem que o desenvolvedor está considerando hardware de turbina de 15 MW com rotores de até 245 metros de diâmetro para os projetos.

Voltar ao Topo