Notícias

Equinor e Exxon apostam US$ 8 bilhões em campo brasileiro com emissões reduzidas

As empresas norueguesas Equinor , Exxon Mobil Corp e Petrogal Brasil vão investir US $ 8 bilhões em um campo de petróleo em águas profundas no Brasil que deve produzir cerca de metade das emissões médias de carbono de projetos semelhantes, disseram as empresas em uma declaração conjunta na terça-feira.

O anúncio vem dias depois de uma série de derrotas para as petrolíferas em meio a um impulso crescente de investidores e ativistas para tornar o setor mais pró-ativo no combate às mudanças climáticas. Os acionistas da Exxon votaram em dois novos membros do conselho apoiados por um minúsculo fundo de hedge que disse que os movimentos da empresa para reduzir as emissões foram inadequados.

Anteriormente, a Agência Internacional de Energia (AIE) pediu às empresas que parassem de investir em novos projetos de petróleo e gás se o mundo quiser atingir as emissões líquidas zero até meados do século, um apelo que a Equinor disse que não teria impacto em seus planos.

A descoberta de óleo de Bacalhau no Brasil, a ser operada pela Equinor, deve produzir cerca de 9 kg de dióxido de carbono (CO2) por barril, contra uma média global de 17 kg por barril, disseram as empresas.

Bacalhau produz óleo leve com menos contaminantes, disseram as empresas. O gás natural associado será reinventado no reservatório na primeira fase do projeto. O consórcio informou que vai investir em turbinas para aumentar a eficiência energética da usina que alimentará o projeto durante a produção.

O primeiro óleo de Bacalhau está previsto para 2024, com produção estimada em 220 mil barris por dia, informaram as empresas em comunicado. Será o primeiro campo na prolífica área do pré-sal a ser desenvolvido por uma operadora internacional e não controlada pelo Estado, a Petróleo Brasileiro SA .

“As reservas recuperáveis ​​estimadas para a primeira fase são de mais de 1 bilhão de barris de petróleo”, disse o vice-presidente executivo da Equinor, Arne Sigve Nylund.

O campo tem um custo de equilíbrio abaixo de US $ 35 por barril, disse Equinor, ou cerca de metade do preço de mercado atual do petróleo bruto.

A Equinor e a Exxon detêm, cada uma, 40% do capital da Bacalhau, enquanto a Petrogal Brasil detém 20%. A estatal brasileira Pré-Sal Petróleo SA (PPSA) também é parceira por meio de um chamado acordo de partilha de produção, garantindo ao governo brasileiro parte da produção do projeto.

Um tribunal holandês ordenou na semana passada que a Royal Dutch Shell aprofundasse drasticamente os cortes de emissões planejados. No mesmo dia, a Exxon perdeu duas cadeiras para o fundo de hedge Engine No. 1 em uma disputa corporativa que se tornou um referendo sobre sua estratégia de mudança climática, enquanto os acionistas da Chevron Corp votaram por uma proposta para cortar as emissões geradas pelo uso dos produtos da empresa.

Voltar ao Topo