Offshore

Equinor prorroga contrato offshore de manutenção na Costa do RJ

Equinor

A empresa norueguesa de petróleo e gás Equinor estendeu o contrato com a empresa de engenharia e consultoria Wood para o fornecimento de soluções de manutenção nas plataformas de cabeça de poço Peregrino (WHP) e FPSO, localizadas na costa do Rio de Janeiro, Brasil.

“Esta é a terceira extensão de um ano concedida à equipe, com o contrato inicialmente garantido em 2015 como um compromisso de quatro anos com quatro opções adicionais de um ano para extensão”, disse Wood. Não compartilhou detalhes financeiros.

“A equipe principal de Wood, composta por aproximadamente 140 pessoas, continuará a fornecer soluções de manutenção para otimizar os ativos. À medida que Wood executa o grande projeto de atualização de condições técnicas (TCUP) da Equinor nos ativos de Peregrino, 500 pessoas adicionais serão mobilizadas para a equipe , “Wood acrescentou.

Paul Leonard, Presidente de Operações da Wood nas Américas disse: “Estamos bem posicionados para estender nosso trabalho com a Equinor nos próximos anos, à medida que eles continuam a investir pesadamente no Brasil, com novos desenvolvimentos. Também estamos comprometidos com o alinhamento com eles. em sua busca por fontes alternativas de energia, como a solar e a eólica, à medida que navegamos na transição energética em direção às emissões líquidas de carbono zero juntos. ”

O campo Peregrino é a maior operação internacional da Equinor fora da Noruega. A Fase Dois do projeto envolve a adição de uma terceira plataforma de cabeça de poço fixa ao campo, estendendo sua vida produtiva principal e adicionando 250-300 milhões de barris em reservas recuperáveis.

O campo de petróleo Peregrino está localizado nas licenças BM-C-7 e BM-C-47, a aproximadamente 85 km da costa do Brasil, na bacia de Campos, em lâmina d’água de 100m. A segunda fase deverá ser desenvolvida a um custo de US $ 3 bilhões e iniciar a produção em 2022.

A Equinor e a Sinochem são co-proprietários do campo, sendo a Equinor a operadora com 60% de participação no ativo. O período de concessão do campo se estende até 2040.

Voltar ao Topo