Óleo e Gás

Energy Plataform busca parceria para construir Hub de gás natural no Rio de Janeiro e Espírito Santo

O projeto da nova Plataforma de Energia, denominado Hub Gasines, vem sendo estudado pela EnP há oito meses para a comercialização do gás natural produzido na costa sudeste do Brasil, tanto no pré-sal quanto no pós-sal, o projeto terá linhas de até 150 km.

O projeto em estudo, que visa estimular a competição e aumentar a produção, será instalado em águas rasas, na divisa do Rio de Janeiro com o Espírito Santo.

A EnP busca uma parceria para investimentos de US $ 350 a 400 milhões, o sistema terá capacidade de 15 a 20 milhões de m3 de gás por dia.

O projeto terá um casaco que servirá como Centro de Operações e Distribuição (COD), receberá gasodutos de diversos produtores e escoará a produção por meio de diversas ligações, nesse sentido, o gás pode ser processado em estações de tratamento localizadas no eixo do Rio de Janeiro e do Espírito Santo.

A localização exata do hub ainda não foi determinada, a localização do projeto será escolhida no futuro dependendo do andamento do projeto, mas a tendência é que a maioria seja no Rio de Janeiro.

Inicialmente, o hub terá apenas um gasoduto até o litoral, no futuro, a meta é garantir o abastecimento de gás em cinco pontos diferentes – Macaé, Porto do Açu, Porto Central, Anchieta e Linhares.

A EnP pretende buscar recursos e parceiros ao longo de 2021, iniciando também um projeto de detalhamento e licenciamento ambiental, se tudo correr como o esperado, Félix prevê que a construção de Hub Gasines poderá começar em 2022 com operações programadas para 2023.

Os Hub Gasines coordenados pela EnP serão implementados por um Special Purpose Vehicle (SPE), a intenção do EnP é atrair grupos em toda a cadeia do gás que possam contribuir com fundos para o projeto. Ele se concentra em empresas de manufatura, proprietários de fábricas de gás e consumidores.

“O momento é oportuno, tendo em vista que a Petrobras está anunciando novos desinvestimentos na velha Bacia de Campos, como Marlim, Albacora e Albacora Leste, que podem ser estimulados até por conta dessa possibilidade”, diz Márcio Félix, presidente da EnP.

Voltar ao Topo