Energia

Enel Green Power inaugura o maior parque eólico da América do Sul

A Enel investiu cerca de 3 bilhões de reais, o equivalente a cerca de 620 milhões de euros ao câmbio atual, na construção do parque eólico Lagoa dos Ventos de 716 MW, maior usina eólica da Enel Green Power em todo o mundo

A Enel está investindo cerca de 360 ​​milhões de euros na construção de um novo projeto eólico de 396 MW, que elevará a capacidade total da Lagoa dos Ventos para cerca de 1,1 GW

A subsidiária brasileira de energia renovável do Grupo Enel, Enel Green Power Brasil Participações Ltda. (“EGPB”), iniciou as operações comerciais do parque eólico Lagoa dos Ventos de 716 MW, a maior instalação eólica atualmente em operação na América do Sul e o maior parque eólico da Enel Green Power no mundo. A construção da unidade de 716 MW, localizada nos municípios de Lagoa do Barro do Piauí, Queimada Nova e Dom Inocêncio, no estado do Piauí, nordeste do Brasil, envolveu um investimento de cerca de 3.000 milhões de reais, o equivalente a cerca de 620 milhões euros, de acordo com a taxa de câmbio atual.

“Lagoa dos Ventos é um projeto eólico sem precedentes e o início de sua operação comercial é um marco importante para a Enel Green Power em todo o mundo, especialmente à luz dos desafios devido ao contexto de saúde global”, disse Salvatore Bernabei, CEO da Enel Green Power e chefe da linha de negócios Global Power Generation da Enel. “Lagoa dos Ventos, nosso maior parque eólico do mundo, representa um passo importante para o nosso crescimento sustentável, ao mesmo tempo que apóia a recuperação verde do Brasil, contribuindo ainda mais para a diversificação da matriz energética do país.”

O Lagoa dos Ventos de 716 MW, que já está em pleno funcionamento, é composto por 230 aerogeradores e terá capacidade para gerar mais de 3,3 TWh por ano, evitando a emissão de mais de 1,9 milhão de toneladas de CO2 na atmosfera. Do total da capacidade instalada do parque eólico, 510 MW foram adjudicados à Enel Green Power no concurso público A-6 no Brasil realizado em dezembro de 2017 e são apoiados por contratos de fornecimento de energia de 20 anos com um grupo de empresas de distribuição que operam no mercado regulado do país, enquanto a produção dos restantes 206 MW serão entregues ao mercado livre para venda a clientes de varejo, aproveitando a presença integrada da Enel no país.

Em dezembro de 2020, a Enel anunciou o início da construção do novo projeto eólico Lagoa dos Ventos III de 396 MW. Com o novo parque eólico, que exigirá um investimento de cerca de 360 ​​milhões de euros, a capacidade total da Lagoa dos Ventos atingirá 1,1 GW. Todo o complexo eólico terá 302 aerogeradores e poderá gerar cerca de 5,0 TWh por ano, evitando a emissão de mais de 2,8 milhões de toneladas de CO2 na atmosfera a cada ano.

Dada a grande escala do projeto, a EGPB criou um projeto de planta inovador baseado em uma avaliação de recursos eólicos de alta resolução para otimizar a produção de energia da Lagoa dos Ventos. Além disso, a EGPB usou uma variedade de ferramentas e métodos inovadores para construir o projeto, como sensores de proximidade em máquinas para aumentar a segurança do local, drones para levantamentos, rastreamento inteligente de componentes de turbinas eólicas, plataformas digitais avançadas e soluções de software. para monitorar e apoiar remotamente as atividades in loco e o start-up da planta, além de uma ferramenta específica para otimizar o cronograma de montagem do aerogerador. Esses processos e ferramentas possibilitaram uma coleta de dados mais rápida, precisa e confiável, melhorando a qualidade da construção e facilitando a comunicação entre as equipes locais e externas.

Durante a construção da unidade 716 MW Lagoa dos Ventos, foram implantados rigorosos protocolos de segurança em função da pandemia e em linha com as indicações das autoridades sanitárias, com o objetivo de garantir a necessária proteção aos trabalhadores envolvidos na construção, como bem como as comunidades onde o parque está instalado. Os mesmos protocolos também estão sendo implantados na construção do novo parque eólico Lagoa dos Ventos III.

Voltar ao Topo