Petróleo

Enauta interrompe produção no campo de petróleo Atlanta por danos em equipamentos

O equipamento do FPSO Petrojarl I estava anormal, por questões de segurança, a petroleira brasileira Enauta decidiu suspender e paralisar o campo de Atlanta.

Segundo informações da empresa, foi constatada corrosão nos aquecedores de combustível, podendo seu funcionamento ser prejudicado devido a esta situação.

A Enauta está conduzindo uma análise com consultores técnicos e operadora de FPSO da infraestrutura Altera para garantir que medidas são necessárias para restaurar com segurança as operações na área, as duas empresas não anunciaram o prazo para devoluções.

A Petroleira é operadora do campo de petróleo de Atlanta e detém 50% das ações, a mesma que a Barra Energia, a Enauta é uma das principais empresas privadas do setor de exploração e produção no Brasil.

A petroleira Enauta comunicou à parceira Barra Energia do Brasil Petróleoe Gás, no dia 3 de novembro, por meio de fatos relevantes, que a empresa vai sair definitivamente da parceria para a exploração offshore do campo de Atlanta, no bloco BS-4, na Bacia de Santos.

A Enauta vai avaliar até 28 de novembro de 2020 se vai assumir a participação da Barra Energia na natureza ou vai desistir em conjunto.

Não vai voltar à cena imediatamente, enquanto for economicamente viável, o sistema de produção inicial continuará operando.

A Enauta declarou que já vinha revisando o projeto com o objetivo de torná-lo mais robusto e resiliente a novos cenários de preços de petróleo, gerando maior valor para os acionistas, “Com a notificação da Barra Energia, esse estudo será acelerado e embasará a decisão da companhia”, afirmou em nota Décio Oddone, presidente da Enauta.

Voltar ao Topo