Offshore

Enauta desiste de vender participação no campo petrolífero de Manati

enauto

 A petrolífera brasileira Enauta Participações SA disse nesta segunda-feira que não vai mais vender sua participação no campo petrolífero de Manati, acrescentando que condições para a conclusão de um negócio previamente anunciado com a Gas Bridge SA não foram atendidos.

“O negócio estava sujeito a uma série de condições comerciais e regulatórias que deveriam ter sido cumpridas até 31 de dezembro. Com o vencimento do prazo, a empresa optou por não prorrogá-lo … e decidiu manter este importante ativo em seu portfólio “, Disse a Enauta em um depósito de valores mobiliários.

Em 16 de agosto de 2020, a Enauta Energia, controlada da companhia, celebrou com a Gas Bridge contrato de alienação de sua participação de 45% no Campo.

A transação estava sujeita a uma série de condições precedentes comerciais e regulatórias que deveriam ter sido cumpridas até 31 de dezembro de 2021.

Com o término do prazo, a Enauta optou por não estender o prazo para cumprimento das condições precedentes e manter em seu portfólio um ativo importante para a geração de caixa, diversificação de receita e melhoria da pegada de carbono.

A Gas Bridge propôs entrar em negociações com a Enauta para uma eventual associação entre as empresas na implantação de um projeto de estocagem de gás natural para Manati, caso tenha sucesso na aquisição da participação de outros parceiros no Campo.

A Enauta informou que iniciará uma avaliação dessa oportunidade. O Campo de Manati é um dos maiores campos de gás do Brasil e está localizado na Bacia de Camamu, no litoral da Bahia.

Voltar ao Topo