Energia

Empresa do Reino Unido busca ofertas de energia no Brasil

A ContourGlobal Plc, uma empresa de geração de energia com sede em Londres, ainda está buscando aquisições no Brasil depois de abandonar as negociações para comprar duas usinas a carvão da Engie SA.

A empresa está olhando “de perto” os ativos eólicos que a Eletrobras estatal está tentando vender, e considerará fontes de energia renováveis ​​e tradicionais, de acordo com Alessandra Marinheiro, diretora executiva da ContourGlobal para a América Latina.

A CountourGlobal está buscando expandir seu portfólio depois de levantar mais de 470 milhões de libras (US $ 664 milhões) em uma oferta pública inicial em Londres, em novembro. A América Latina é uma parte importante da estratégia e a empresa também planeja buscar oportunidades na Colômbia, México e Peru. No Brasil, o foco são projetos que têm contratos de compra de energia de longo prazo e um fluxo de receita previsível, disse Marinheiro.

“Há muitas oportunidades de M & A no Brasil”, disse ela em entrevista por telefone. “Queremos crescer no país e ter visto uma grande consolidação no mercado.”

A ContourGlobal esteve em conversas exclusivas com a Engie desde dezembro em relação às duas usinas a carvão, que têm uma capacidade combinada de 700 megawatts. A Engie, de Courbevoie, França, está no meio de uma mudança estratégica para impulsionar o investimento global em redes de energias renováveis ​​e gás natural e se afastar do carvão. Está planejando fechar suas fábricas de carvão no Chile e as duas instalações no Brasil são seus últimos ativos de carvão no país.

Marinheiro se recusou a dizer por que a CountourGlobal decidiu não realizar o acordo com a Engie, e a empresa francesa disse em comunicado que não estava ciente da decisão da ContourGlobal.

Leilão Eletrobras

A ContourGlobal é co-proprietária de dois projetos eólicos no estado do Piauí, no nordeste do Brasil, com a unidade Chesf da Eletrobrás, e está considerando assumir os ativos. A Eletrobras planeja vender participações em 70 parques eólicos e linhas de transmissão em um leilão de 7 de junho, enquanto a empresa trabalha para reduzir custos e se prepara para ser privatizada.

A ContourGlobal está pressionando por aquisições no Brasil, em parte porque se tornou mais difícil nos últimos anos desenvolver novos ativos de energia. O país cancelou dois leilões de energia em 2016, citando a queda na demanda de energia, e um evento na semana passada levou a um recorde de preços baixos, impulsionados por juros reprimidos de empresas ansiosas para fazer seus projetos avançarem.

“Estamos focando em M & A no Brasil agora, já que os leilões são pequenos e muito competitivos”, disse Marinheiro.

Voltar ao Topo