Petróleo

Em tempos de crise, rede de contatos facilita acesso às vagas de emprego

Em cenário de crise econômica, ativar a rede de contatos é fundamental para arranjar um emprego. De acordo com psicólogos e recrutadores da área de Recursos Humanos (RH), a recomendação vale tanto para quem está dando início à carreira quanto para quem perdeu a ocupação e pretende voltar ao mercado de trabalho.

Quanto a isso, a psicóloga e analista do Instituto Euvaldo Lodi de Pernambuco (IEL-PE), Silviane Silvestre, não tem dúvidas. Sem bons relacionamentos profissionais, a chance de garantir uma vaga é bem menor. “O que a gente percebe é que as pessoas bem relacionadas dificilmente ficam sem emprego, porque, assim que precisam, elas automaticamente ativam esses contatos”, afirma.

Para ela, esses contatos podem ser em todos os ambientes da vida profissional. “Seja um professor, um coordenador de curso, uma pessoa de outra empresa, tem que realmente investir nesse networking. Ele precisa conversar com as pessoas, precisa ter um relacionamento que a gente chama de estratégico”, aconselha.

Além do networking, o profissional precisa apresentar uma postura ativa na carreira e procurar sempre se atualizar. “Ele tem que ter uma visão empreendedora, ou seja, tem que se antecipar ao que está acontecendo e não ser passivo às situações. Outro ponto é a atualização. Não é porque eu me formei e fiz uma pós-graduação que eu vou parar o meu conhecimento. É importante que as pessoas estejam preparadas para os desafios do mercado, e elas só vão estar preparadas se elas se atualizarem”, recomenda.

Desemprego

De acordo com o Cadastro de Empregados e Desempregados do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), em Pernambuco, as demissões superaram as contratações em 89.561 vagas formais. No acumulado dos últimos doze meses, foram fechados 91.335 postos de trabalho, o que corresponde a um declínio de 6,54%, o maior da Região Nordeste.

A realidade do estado se reflete na Região Metropolitana do Recife (RMR). Na mesorregião, em janeiro deste ano, houve uma redução de 9.895 empregos com carteira assinada. No Porto de Suape, segundo o Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias de Construção de Estradas, Pavimentação e Obras de Terraplenagem de Pernambuco (Sintepav-PE), 37.060 pessoas foram demitidas desde 2014. Na última terça-feira (1), cerca de 5 mil pessoas lotaram a rua em frente à Estação de Trem do Cabo de Santo Agostinho em busca de emprego no complexo portuário, que deve abrir vagas a partir de abril.

Poucas oportunidades

Quem procura cursos profissionalizantes deve esperar, pelo menos, até maio. É nesse mês que abrem as inscrições para os próximos cursos oferecidos pelo governo do estado. Já as capacitações realizadas pela Secretaria de Juventude e Qualificação Profissional da Prefeitura do Recife só vão abrir novas turmas no próximo semestre. As inscrições poderão ser feitas em junho por meio do site da secretaria.

Todos os dias, as agências de Trabalho do Recife e de Pernambuco divulgam vagas disponíveis no mercado. A Secretaria Estadual da Micro e Pequena Empresa, Trabaho e Qualificação (Sempetq) disponibilizou 24 vagas na capital e nas cidades de Paulista e Igarassu. Ao todo, são 29 agências espalhadas em toda a unidade federativa. Já a agência da capital tem oferecido esta semana cerca de 400 vagas disponíveis no mercado.

Os endereços das unidades da Agência do Trabalho de Pernambuco estão disponíveis no site da Secretaria da Micro e Pequena Empresa. Entre os serviço ofertados, estão intermediação de emprego, atendimento ao seguro desemprego, emissão de carteiras de trabalho e previdência social e de identidade, além de orientação profissional.

Voltar ao Topo