Economia

Economia do Brasil parece estar em caminho de recuperação, com setor de serviços crescendo 5% em junho

A atividade de serviços no Brasil cresceu 5% em junho em relação ao mês anterior, uma indicação clara de que a maior economia da América Latina está se recuperando depois de sofrer quedas acentuadas após a eclosão da pandemia COVID-19.

No entanto, o setor ainda está longe de atingir os níveis pré-crise, de acordo com os dados da agência de estatísticas do país, IBGE, aatividade de serviços caiu 8,3% nos primeiros seis meses do ano em relação ao mesmo período do ano passado.

Para analistas, essa é uma boa notícia para o Brasil, apontando para o fato de o setor de serviços responder por 70% do PIB do país.

O setor financeiro é de longe o mais importante da indústria de serviços no Brasil, com viagens e turismo considerados os segundos componentes mais essenciais do setor.

Considerando o relatório, a atividade nas indústrias de transporte e informação e comunicações (TIC) cresceu mais do que o esperado.

Apesar de um aumento acentuado no número de casos COVID-19, os investidores em ações permaneceram otimistas, o índice de ações de referência do Brasil subiu mais de 30% nos últimos três meses.

A economia do Brasil deve contrair 6,4% este ano, no entanto, o Brasil parece estar em uma posição melhor do que o México e a Argentina, que devem encolher 9,8% e 12,5%, respectivamente.

A taxa de recuperação pode aumentar nos próximos meses, se o número de casos COVID-19 diminuir, dizem analistas.

Voltar ao Topo