Economia

Economia: Bolsonaro enfrenta uma difícil escolha no comércio de etanol dos EUA

Bolsonaro está enfrentando uma escolha difícil entre enfrentar um poderoso local de comércio do etanol  ou  irritar um aliado importante, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, quando uma decisão importante sobre o comércio internacional de etanol se aproxima.

A cota brasileira de importação de etanol isento de impostos, usada inteiramente por produtores dos EUA, está definida para expirar em 31 de agosto, a menos que o governo a renove. Permitindo 750 milhões de litros por ano, é um volume bem-vindo para os fabricantes de etanol dos EUA, pois a pandemia atingiu seus negócios.

Os produtores de etanol dos EUA e a Casa Branca esperam uma renovação da cota isenta de impostos e Trump pediu ao governo do presidente Jair Bolsonaro que elimine qualquer tarifa, atualmente em 20%, sobre as importações acima dessa cota.

Trump gostaria de agradar aos produtores de etanol e produtores de milho antes das eleições nos EUA, em um momento em que as vendas de combustível estão baixas devido à pandemia, que levou ao fechamento de fábricas e reduziu a demanda por milho.

O Bolsonaro do Brasil, por sua vez, foi eleito com forte apoio do poderoso lobby agrícola de seu país. A indústria local de açúcar e etanol, também atingida pela pandemia, pediu ao governo que deixe a cota expirar, acabando com qualquer importação isenta de impostos.

Evandro Gussi, chefe do grupo da indústria de açúcar e etanol do Brasil Unica, disse que qualquer liberalização no comércio de etanol deve ser seguida por uma ação dos EUA para reduzir seu imposto de importação sobre o açúcar brasileiro.

A Unica acredita que de outra forma não haverá ganho para o Brasil renovar a cota ou eliminar a tarifa.

Geoff Cooper, chefe do grupo americano de etanol RFA, disse que o Brasil não enfrenta impostos sobre suas vendas de etanol aos Estados Unidos e que seria justo ter regras semelhantes no comércio entre os dois produtores de biocombustíveis.

Com Informações do Reuters

Voltar ao Topo