Notícias

Distribuidoras de combustível invadem espaço público em SP

Raízen distribuidora

A Superintendência do Patrimônio da União (SPU) em São Paulo, órgão vinculado ao Ministério da Economia, concluiu que um grupo de três empresas distribuidoras de combustível ocupa de forma irregular um terreno do governo federal em Ribeirão Preto (SP) sem pagar aluguel há mais de dez anos, atuando de “má fé” e com “enriquecimento ilícito”. O caso envolve as distribuidoras Raízen, Ipiranga e Vibra (antiga BR Distribuidora.

Com base nesses argumentos, a SPU notificou essas três empresas para cobrar uma multa milionária por cada mês que elas continuarem utilizando o terreno, onde funciona um terminal de distribuição de combustíveis. O valor final da multa ainda deve ser calculado com base no tamanho da área construída no terreno, mas pode chegar a R$ 20 milhões por mês.

As empresas negam as acusações, dizem que a ocupação é legal e que têm interesse em comprar o terreno.

Voltar ao Topo