Economia

Dinheiro do FGTS que não foi sacado é devolvido pela Caixa

FGTS

Os trabalhadores que receberam automaticamente os R$ 500 do saque-imediato do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) em conta poupança, e não quiserem sacar o dinheiro, terão os valores devolvidos à conta vinculada no dia útil seguinte à solicitação de “desfazimento”. O depósito automático foi pelo para os beneficiários que tinham conta poupança na Caixa Econômica Federal (CEF).

De acordo com a Caixa, os valores que retornam para a conta do FGTS terão todas as correções previstas para o período e receberão os respectivos juros e atualização monetária normalmente, não havendo qualquer ônus ou prejuízo ao trabalhador.

Saque do FGTS vira alvo de golpe de bandidos, veja como se proteger

Os poupadores da Caixa foram os primeiros a receber os valores do saque imediato do Fundo. O calendário de saques começou no dia 13 de setembro. A data limite para o saque ou para comunicar o desfazimento é 31 de março de 2020.

Demais beneficiários do FGTS

Os trabalhadores que podem sacar os recursos nos canais físicos e não realizarem o saque imediato terão automaticamente os recursos de volta em sua conta do FGTS com as devidas atualizações, a partir de 1º e abril de 2020. Segundo a Caixa, se desejarem, esses trabalhadores poderão solicitar a devolução dos valores à conta vinculada do Fundo de Garantia desde já, e terão os valores retornados à conta no dia útil seguinte à solicitação.

Devolução

Caso a conta do FGTS não tenha sido debitada, o trabalhador pode solicitar a devoluçao do dinheiro por meio de um dos canais de atendimento da Caixa: APP FGTS, www.fgts.caixa.gov.br, Internet Banking Caixa e 0800 724 2019 e registrar essa opção. Se o débito já tiver sido realizado, a solicitação de desfazimento pode ser feita em qualquer agência da Caixa.

Voltar ao Topo