Óleo e Gás

Demanda por gasolina retoma nível pré-pandêmico

gasolina

A demanda por gasolina no Brasil deve retornar em 2022 aos níveis vistos em 2019, antes da pandemia, de acordo com o relatório de petróleo da S&P Global Platts para a América Latina. A consultoria adiantou que, com o abrandamento das restrições ao combate à Covid-19, o consumo deste tipo de combustível no país no quarto trimestre de 2021 deverá ficar próximo do verificado no último trimestre de 2019.

No caso do diesel, o consumo no país está acima dos níveis verificados antes da crise da saúde e, segundo o relatório, o Brasil é o motor do crescimento da demanda pelo combustível na América Latina. Platts destaca que em agosto as importações líquidas de diesel do Brasil atingiram o maior nível em 21 meses. A consultoria também disse, no entanto, que o potencial de crescimento é desafiado pelos altos preços internacionais do petróleo.

A consultoria estima que o Brasil encerrará 2021 com uma demanda média por diesel de 1,08 milhão de barris / dia, alta de 8% em relação a 2020 e 6,9% em relação à média de 2019. Já para gasolina e etanol, a consultoria projeta consumo médio anual de 945 mil barris / dia, um aumento de 9,2% em relação ao ano passado e 3,2% em relação a 2019.

Para a Platts, a recuperação ocorre de forma diferente em cada país da América Latina. As importações de diesel na região devem crescer em 2022, na comparação anual, enquanto a gasolina deve ter uma recuperação gradual e pode ficar abaixo do volume de 2019.

Voltar ao Topo